segunda-feira, 16 de maio de 2011

Teoria graceli da fisicidade e quimicidade – magneto graceli, energeticidade, radiação e faixas e camadas graceli.



Teoria graceli da fisicidade e quimicidade – magneto graceli, energeticidade, radiação e faixas e camadas graceli.


Autor. ANCELMO LUIZ GRACELI.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.
Rua Itabira – n 5, Rosa da Penha, Cariacica, Espírito Santo, Brasil.



Registrado na Biblioteca Nacional. Brasil – direitos autorais.

Colaborador – Márcio Piter Rangel


Parte deste trabalho foi enviada para o Brazilian Journal of Physics, da SBF. Para sua publicação.



A partir do magneto graceli do espaço denso se forma os processos físicos, as partículas, os campos, e é dado início aos elementos químicos.

Desta fase inicia-se a fase da aglutinação e das radiações onde surgem os fótons, a temperatura, as faixas, camada, discos, e mantas graceli em torno dos astros e sistemas atômicos.

Com a aglutinação se formam os monopolos magnéticos dentro e fora, tanto dos astros quanto dos sistemas atômicos.


Ou seja, temos uma só teoria tanto para a química, quanto para a física, a astronomia e cosmologia. Ver teoria cafq graceli – na internet.



Os processos físicos determinam a energia, campos, matéria, formas, fases, fluxos, órbitas, variações, processos ínfimos, astros e dinâmicas, faixas, discos e camadas graceli.


A gravidade é o resultado do processamento dos monopolos magnéticos dos astros e sistemas atômicos. [ver teoria do código graceli para unificação de campos].


O código graceli da natureza é uma teoria geral, mas não final.

Pois, ela retrata a unificação geral entre fenômenos físicos e químicos, a unificação entre todos os campos e a matéria. E a simetria graceli biológica.


Algumas das provas das teorias de graceli são os cinturões de asteróides provando que há uma impulsão dos astros para fora e eles não são atraídos.


 Outra é a progressão das distâncias dos astros.

 Outra são os anéis, os cometas, os exosplanetas que ao contrário do que é retratado de que eles são atraídos, na verdade eles foram e são impulsionados para fora.

E suas órbitas e rotações invertidas se devem a algumas leis já retratadas nas teorias de graceli – ver teoria astronômica da inversão continuada, na internet.




Teoria graceli astronômica da inversão continuada.



As órbitas retrógradas e rotação invertida continuadas, de alguns planetas, satélites e cometas, exosplanetas se devem à própria energia dos astros e ao sistema de camadas graceli em que o astro já esteve ou está.


Esta inversão continuada graceli também é encontrada nos sistemas atômicos, na dinâmica e órbita dos monopolos magnéticos, nas correntes térmicas dentro dos astros, nas correntes oceânicas, na atmosfera, nas auroras boreal e austral, nas camadas, discos, e faixas graceli. E nos movimentos dos campos dentro e fora do astro.



Para teorias de sistemas interligados - ver teoria de graceli dos sistemas. Na internet.



Quiralidade cósmica – todo cosmo tem um maior deslocamento para um dos lados principalmente no início e na sua origem, porém, depois eles entram na fase da inversão continuada graceli.


E todo cosmo translada em torno de um vazio cósmico.



Confirma-se a inversão continuada graceli nos movimentos anômalos das galáxias e aglomerados.





Três formas de estado da matéria de graceli.

O espaço denso.
O magneto graceli do espaço denso.
Os campos são formas de matéria difusa.

Os campos surgem dos processos de energia que ocorrem na matéria, e que liberam no espaço magneto graceli e radiação na forma de fótons, partículas e campos. Ou seja, os campos são formas rarefeitas de matéria e energia.

Que em grande quantidade a parecem que são compactas, mas não são ínfimas, descontinuas e difusas, e rarefeitas.



Efeito graceli campônico.

Ou seja, os campos são formas de energia descontinua no espaço.


Quando é produzida a eletricidade sai um raio de luz na forma de fótons e eletricidade – do magnetismo e da rotação.

A mesma produção de eletricidade ocorre nos raios durante as tempestades.

Ou seja, todos os campos são formas de matéria descontinua e também na forma de energia.


A gravidade se apresenta como uma manta [ lençol] em torno dos astros e sistema atômico, como se fosse um só sistema continuo.


Ou seja, temos três estado da matéria e um efeito campônico.

E este efeito graceli campônico como formas de radiação. Ou seja, infinitamente descontinuo.


Ou seja, a gravidade, os monopolos magnéticos dos astros, das radiações, dos campos, do sistema atômico são todos formas de radiação descontinua.


Com isto temos uma abertura para a astronomia descontinua. E campos descontínuos.

E a gravidade de unifica com os outros campos como forma de energia e matéria descontinua.





Manta graceli de campos descontínuos e ínfimos.

Ou seja, os campos são formas de energia e matéria descontinua que tanto existem dentro da matéria quanto fora. E fora da matéria e dentro da matéria forma-se uma manta de radiação, matéria e energia que são descontínuos.

Esta manta descontinua possui rotação dentro [monopolos magnéticos] e fora do astro [gravidade].

Os monopolos magnéticos do sol são possíveis de ser medido e fotografado.

O da terra também.


Uma das provas de mantas graceli de energia são as rotações da lua e translação. Onde que a lua se apresenta como fizesse parte do sistema terrestre. E faz.

Com rotação ínfima, quase não vira as faces oculta e exposta.

Isto também acontece com as rotações de Mercúrio e Vênus em relação ao sistema solar.

E também acontece com o satélite Amaltéia de Júpiter.


Teoria da imprevisibilidade.


À medida que descemos na escala ínfimus a imprevisibilidade, a assimetria e a incerteza aumentam.


Decrescimento da escala ínfimus = crescimento da escala de imprevisibilidade, incerteza e assimetria.

Isto pode ser confirmado com alguns fenômenos quânticos e nucleares, como por exemplo quando um fóton é expelido instantaneamente quando um elétron salta de uma órbita para outra.

Mesmo o salto do elétron acontece instantaneamente, não respeitando a dimensão do tempo e do espaço, mas se encontra dentro das dimensões graceli da energia. Ver código graceli da natureza – na internet.



Isto acontece nas formas, fases, no sistema atômico, em alguns decaimentos e isótopos, fluxos e sistema ínfimo atômico, campos e eletricidade, dentro de uma partícula. Pressões de gases e dilatações, e órbitas aleatórias de partículas e gases dentro de recipientes com grandes pressões.


Assim, pode-se dividir a natureza do grande e do ínfimo. Porém órbitas anômalas de galáxias também entram na imprevisibilidade, incerteza e assimetria.


A mundo ínfimo da natureza é a troca, a mudança em grande quantidade mesma sendo ínfima e descontinua.

A gravidade não é mais um sistema contínuo, mas uma manta graceli descontinua de energia, e que todos os campos são um – formas de energia ínfima se processando dentro e fora da matéria.



Energia, campos, e matéria é uma só coisa – magneto graceli aglutinado produzindo energia.


A matéria não mais se divide em partículas e elementos químicos – mas componentes alquímicos graceli.

Ou seja, em ínfimos processamentos de energia.

Pois, o átomo não é mais uma partícula, mas um sistema ínfimo de produção de energia, troca, impulsão e transformação de magneto graceli em matéria mais energética.



O fóton passa a ser dividido em luminoso e escuro.



Assim, é o ser deixando de ser, é a relação e a mudança ínfima e descontínua.

Um campo magnético se transforma imediatamente em eletromagnético.


Uma partícula pode se fundir formando outra. Um elemento pode decair ou fundir mudando a sua natureza e isótopos. E o elemento passa a ser outro.


Porém, o componente alquímico graceli se encontra no mundo ínfimo.

Pois, um átomo se comparado com um estádio de futebol, os elétrons ocupariam as arquibancadas e os prótons e nêutrons o centro do campo. Ou seja, há um espaço imenso para troca incessante de energia.


O sol é uma estrela no mundo macro, mas no mundo ínfimo e micro é vários e ínfimos no tempo, no espaço e na energia dimensional.

Como o sol não é único também a gravidade não é contínua.


Um componente alquímico graceli pode se transformar em vários, o que determina cada fase e identidade passageira é a energia ínfima que a produz.




Teoria da curvatura de energia.


A energia dentro e fora do astro e do componente alquímico graceli tem uma natureza descontinua e ínfima, mas se apresenta curva e com função curva, como uma manta dentro [monopolos magnéticos e faixas graceli interna], e fora faixas, camadas e discos graceli.


As curvaturas de energia são variáveis e decrescentes em alcance e intensidade.
E varia conforme ao sistema que a produz.

Em torno do fóton também há uma camada graceli de energia curva.


Não é o espaço que é curvo, mas a energia.


As camadas graceli de energia e campos também têm movimento rotacional e translacional, e variam em excentricidade e inclinação. Ou seja, se apresentam também nas formas de elipse e inclinações.


E desenvolvem a inversão graceli continuada dos movimentos.




Teoria da interação da totalidade.


A totalidade de todos os fenômenos em volta de um sistema de produção de energia determina todas as variações e trocas que aquele sistema possa passar. E o sistema tem ação sobre a totalidade de todos os sistemas.

Um campo eletromagnético da atmosfera pode influir sobre a fusão nuclear dentro de um reator. Ou uma pressão de gases serem influenciados por fatores externos.




Teoria graceli para volume e unicidade de cargas.


O volume determina as cargas positiva e negativa com isto só há uma carga.


Quando o volume é grande de uma partícula ou componente alquímico graceli há um efeito de atração. Partículas e componentes alquímicos graceli com grandes potenciais de energia.

Mesmo assim a radiação acontece processando uma radiação para fora.

Isto também acontece com a liberação de fótons sempre quando um elétron pula de uma camada para outra.


Quando o volume é ínfimo, descontinuo e quântico de uma partícula há um efeito de repulsão. Isto é comum entre prótons e prótons e nêutrons.

Partículas grandes com partículas grandes.

Mesmo assim ocorre a liberação de componentes alquímicos graceli.

Toda partícula é um sistema de componentes alquímicos graceli. Inclusive os fótons luminosos e escuros [radiação escura].






Teoria da unificação geral.



No código graceli da natureza foi desenvolvido  uma unificação entre campos, energia e partículas.

Nesta parte do texto será da uma continuidade de unidade dentro da física, química, cosmologia e astronomia [cafq graceli].



Como já foi retratado em meus textos que todos campos são formas de radiação ínfima, e que mesmo parecendo ser uma manta continua de energia, é na verdade uma manta descontinua de energia.



Esta matéria energética e magnética ínfima e escura forma todas as partículas e campos. E aceleram os processos energéticos nos processos na formação dos elementos químicos, nos decaimentos, e todos os processos quânticos e nucleares.



Esta matéria energética e magnética ínfima é o magneto graceli que aglutinado forma o componente alquímico graceli.



Este componente alquímico ínfimo quando ativado por acréscimo de temperatura, ou pressão nos gases aumenta o potencial de energia e campo interna e externa [camada graceli nas partículas] aumentando a energia total do sistema.





Teoria graceli ínfima.
Teoria alquímica graceli.


Campo ínfimo, componente alquímico ínfimo.

Camada ínfima externa variável.


Assim, muito menor do que a constante de Planck para radiação descontinua, há a natureza ínfima graceli.



Uma radiação do tamanho da constante de Planck [h] ao se processar no espaço se encontra em processos ínfimos. Estes processos contêm campos variáveis, energia variável, camadas graceli variáveis.


Um fóton ao ser ejetado sempre quando um elétron pula de uma camada para outra, ele é constituído de ínfimas partes de magneto graceli e componente alquímico graceli.



Imagine que os elétrons ocupem as arquibancadas de um estádio e os prótons e nêutrons ocupem todo centro onde a bola inicia o jogo. E as gramas são os componentes alquímicos graceli, e cada célula das folhas são os magnetos graceli. E o estacionamento em torno do campo são as faixas e camada graceli descontínua.



Ou seja, entre prótons neutros e elétrons e envolta há uma enorme quantidade de energia, campos ínfimos, camadas graceli de campos, onde ocorre uma intensa troca de energia e de interação de uma sobre a outra.



Por isto que ocorre os decaimentos e as fusões, e os gases quando sob pressão aumentam o seu movimento e variações aleatórias, pois as partículas aumentam também a sua energia, campos e camadas graceli externa.



Com o aumento de temperatura aumenta a radiação por que aumenta a produção de energia e a produção de matéria dentro e fora das partículas e gases.



O magneto graceli e o componente alquímico graceli inflam e aumentam a sua produção de energia conforme são ativados por temperatura, campos, pressão [principalmente nos gases], aceleradores de partículas e reatores nuclear. E variações nos astros e de um sobre o outro. Por exemplo, da radiação solar sobre a terra.




Os componentes alquímicos graceli e o magneto graceli também variam conforme o estágio em que se encontram elementos químicos, isótopos e decaimentos nucleares.


Esta variação de intensidade e potencial de energia do componente alquímico graceli varia conforme a energia de cada elemento químico.



Por exemplo, o ferro tem menos potencial de componente alquímico graceli do que o urâneo e o thório.


Pois o ferro é mais estável.



Cada molécula de gás ao sofrer a alteração no seu componente alquímico graceli ela infla e aumenta a sua camada graceli externa de energia. Ou seja, ela aumenta de tamanho, aumenta a sua camada graceli externa, aumenta a sua energia, temperatura e com isto o movimento aumenta o seu movimento aleatório. Por isto que a pressão sobre o recipiente aumenta.




O componente alquímico graceli e o magneto graceli são formas e estágios de energia-campo, mas não chegam a ser materializados, com isto não são partículas.


[ver as quatro dimensões graceli de energia, no código graceli da natureza].



O movimento aleatório nos gases aumenta à proporção que a temperatura e gases são aumentados. Isto por que a energia de cada gás e componente alquímico graceli é acelerada por gases e temperatura.


Ou seja, por que a energia geral de todo sistema e gás é acrescida de temperatura e pressão.



Como já foi tratado no código graceli da natureza que o que difere as cargas e os campos é o volume.


Qualquer campo pode desenvolver funções de atração e repulsão.


E todos os campos são únicos, e tem a sua unidade no magneto graceli.



E todas as partículas são as aglutinações de espaço denso pela ação do magneto graceli.


O componente alquímico graceli é a natureza processual da energia-campo-matéria, na sua ínfima constituição.


E por isto que há partículas com as duas cargas – elétrons e pósitrons.


Assim, temos a unidade entre espaço denso, campo, energia e matéria.





Unificação geral.

Assim, todos os campos surgem do magneto graceli.


E a aglutinação pelo magneto graceli produz a matéria e o movimento da matéria produz a eletricidade e monopolos magnéticos, e conforme o volume terá campos fracos e fortes, positivos ou negativos.


Sempre quando o volume for grande a interação será de atração e campo forte, no caso campo forte nuclear e gravidade. E campo fraco nuclear e eletricidade.



Assim, todas as partículas são únicas, pois são constituídas de espaço denso constituído de magneto graceli.



O mesmo acontece com os campos e a energia.


Assim, espaço denso = campo = energia = matéria = componente alquímico graceli = elementos químico.


Desta combinação surgem os elementos, dinâmicas, órbitas, faixas e camadas graceli, astros e o cosmo.

Temos assim, um fluxo de processos de fora para dentro e de dentro para fora.


Temos assim, um universo único de origem continuada, homogêneo e sem forma definida na sua constituição macro. Por isto que se apresenta com plano.


Porem, na constituição de astros, partículas e camadas graceli se apresenta como curvo.


Esta curvatura é feita pela própria natureza da matéria de se aglutinar.


As partículas também são constituídas de faixas e camadas graceli.



A gravidade tem ação de atração sobre a água líquida e sólida durante a chuva e granizo, e de repulsão sobre a água gasosa – durante a evaporação. Ou seja, o determinante é o volume.


O mesmo acontece com os elétrons e pósitrons.



Os pósitrons são atraídos pelos prótons por serem volumosos. E os elétrons são repelidos por serem muito menores.



Divide-se um pósitron em milhares de elétrons e eles passaram a ter uma repulsão.



O mesmo acontece com o fóton quando é expelido instantaneamente sempre quando um elétron pula de uma camada para outra. Ou seja, é expelido.




O mesmo acontece com os campos nucleares fortes e fracos.



Ou seja, a natureza além da temperatura tem outro componente fundamental no fluxo e processamento do cosmo. Este componente é o volume.


E cargas positivas e negativas podem ser determinadas por cargas únicas, pois o que determina que uma carga seja positiva ou negativa é o volume.




E todo campo é um só, e o que determina que um campo seja de atração ou repulsão é o volume.



E todo partícula também é única, pois o que determina que ela seja de ação de atração e repulsão é o seu volume.



E o que determina a carga única é a natureza do magneto graceli do espaço denso. Da onde se têm origem todos os campos, cargas, partículas, faixas e camadas graceli.



E a matéria e energia nascem [e são] esta aglutinação e componente alquímico graceli – de produção de energia.



Assim, temos uma unidade geral entre.


Espaço denso e magneto graceli, campos e carga, energia e matéria, componente alquímico graceli e elementos químicos.



O componente alquímico graceli é um constituinte energético que é um campo semi aglutinado e que não chega a ser uma partícula.


Não consegue ser detectado, mas a sua presença é sentida nas alterações físicas, química e nuclear.
Assim, temos a física ínfimus graceli, que vai além da física quântica e nuclear, e que trabalha a unidade da natureza é a descontinuidade infinita da mesma.



Que é o semi aglutinado, ou componente alquímico graceli.



Teoria graceli de física ínfimus, e componente alquímico graceli.


Esta teoria difere da quântica, pois a quântica trata da descontinuidade da matéria e da radiação de pacotes de energia e da incerteza em alguns fenômenos.


Esta trata de invisibilidade e da energia-campo voltada para a unicidade geral entre espaço denso e magneto graceli, campo, energia e matéria. E o componente alquímico graceli sendo um componente de energia-campo da invisibilidade entre o magneto graceli e a matéria e os elementos químicos, fenômenos nuclear e quântico.



Enquanto a quântica trata da descontinuidade da radiação, a ínfimus e componente alquímico graceli trata da natureza da física e alquímica na forma de energia-campo, e nasce de liberação no instante da radiação, mas é uma natureza intermediaria entre o magneto graceli [componente primordial da natureza] e a matéria.


Teoria graceli da unicidade geral.

A unicidade geral das teorias de graceli trata da equalização e relação conceitual de.

Magneto graceli = ínfimus g = componente alquímico graceli = aglutinação = campos = rotação  = energia = matéria = elementos químicos = astros = cosmo.


Entre os elétrons e prótons e nêutrons não há um espaço vazio, mas é repleto do componente alquímico graceli e campos que se transformam em energia, fótons e partículas. Por isto que ocorre os decaimentos e os isótopos, fusões e fissões, variação de elementos leves em pesados e de pesados em leves [ver teoria dos energeticuns – na internet].


E a faixa e camada graceli atômico também participa com energia para o sistema atômico e seus fluxos e sua estabilidade.


Com isto o átomo não é uma partícula, mas um sistema atômico de energia, componente alquímico graceli e campos e camada e faixa graceli de energia.


Estas variações também ocorrem nos gases e no seu movimento, aumentando os movimentos aleatórios conforme a energia vai aumentando.


Com isto abrimos uma unicidade [cafq graceli] entre o micro e o macro, um universo continuado e sistema atômico continuado. Sem inicio e fim.

Onde a dimensão principal não é o espaço e nem o tempo, mas a energia, [ver as quatro dimensões graceli de energia], pois é a energia que determina o espaço, o tempo e o movimento, as formas, fases, e fluxos.





Sobre a natureza do espaço.

O espaço não encurva, não estica, não expande, não tem forma definida, para isto ele deveria ser compacto, contínuo, ser uma só peça. Pois o espaço é ínfimo na sua natureza e constituição.


A camada, disco, e faixas graceli não encurva o espaço, mas sim, a energia pode se curvar conforme o sistema que a produz. E que tem alcance e densidade decrescentes, conforme o agente que a produz.





Variações e fases na astronomia.

A astronomia pode ser dividida em quatro partes.


1- A interna – movimento do monopolos magnéticos e de correntes de temperatura, sismos, movimentos de campos, tectônicos, correntes marinhas.

2- A periférica – movimento de lateralidade, aurora boreal, fluxo de gases e evaporação, chuva e granizo, ação magnética e atmosférica.

3- A das faixas, discos e camadas graceli – após a periférica e que tem ação direta sobre a origem e desenvolvimento dos fenômenos astronômicos e formação dos anéis, e astros.


4- Após as faixas e camadas graceli – onde estes agentes dão  lugar à própria energia do astro. Onde o astro passa a desenvolver as suas dinâmicas e órbitas, e fenômenos de inversalidade continuada graceli.





Cosmoastronomia graceli. Cafq.

Conforme o tamanho e densidade das galáxias são as suas rotações.

As galáxias também variam em tamanho, forma, densidade, fases, e fluxos.

Elas encurtam e esticam, arredondam e esticam num fluxo continuo. E se entorse, ou seja, se compararmos uma galáxia com uma panqueca em disco, conforme a sua inclinação rotacional de uma extremidade a outra ela não será um disco e espiral plano, mas um disco torto.

O mesmo acontece com a translação e rotação inversa de algumas estrelas que compõe as galáxias, enquanto a maioria se desloca em um sentido, outras mais do centro e da extremidade se deslocam em sentido perpendicular continuado e inverso continuado.

Continuado é por que conforme a fase se encontra sempre desenvolvendo movimentos de ida e volta, ou seja, fluxos perpendiculares e de inversão.


Assim, as galáxias e aglomerados desenvolvem formas e movimentos e órbitas elípticas, de encurtamento e esticamento e arredondamento, balanço nos movimentos, principalmente balanços nas espirais e no alinhamento na fase de discos.


As galáxias desenvolvem estes fenômenos e seu movimento anômalo por causa dos fenômenos da fisicidade e dos quatro partes físicas e astronômicas desenvolvidas nas teorias de graceli.

Que são.

1- A física e astronomia interna e componente alquímico graceli.

2- A física e astronomia periférica.

3- A física e astronomia de faixas, camadas e disco graceli.

4- A física e astronomia fora das faixas, camadas e disco graceli.


É estas quatro fases que determinam o formato das galáxias na forma de sombreiro e de espirais.




Que é um ligeiro arredondamento no centro – onde tem uma grande quantidade de estrelas com maior inclinação orbital e rotacional, e uma maior elipse e inversão e perpendicularidade continuada.



Mais ao centro da galáxia onde as faixas e camadas graceli são mais ativas e com maior intensidade de ação acontece o fenômeno do achatamento do disco, do alinhamento, da panqueca, do sombreiro. Onde as inclinações diminuem, a elipse diminui e a inversão e perpendicularidade diminui.


E fora das faixas e camadas graceli, os fenômenos e fluxos são mais intensos, com maiores elipses e inclinações continuadas, com os fenômenos do esticamento e encurtamento sendo maior, o arredondamento, os fenômenos e fluxos da perpendicularidade e inversalidade continuada mais intensa, e os movimentos anômalos mais presente.



Os aglomerados e as nebulosas também passam pelos mesmos fenômenos.



O que faz parecer que as galáxias se encontram dentro de uma casca de energia para elas desenvolverem os movimentos anômalos é verdadeira. Pois esta casca descontinua de energia são a camada e disco periférico graceli.



Pois, um astro tem o seu diâmetro físico e astronômico alem do seu diâmetro sólido. Mas também incluem o periférico e atmosférico e os da faixa, disco e camada graceli.

Se compararmos ao sol, este tem o seu diâmetro físico e astronômico que vai próximo de Marte, ou seja, com 1.5 UA.

A extensão física depende do potencial de produção de energia.



A lua faz parte do sistema de extensão da terra, por isto que tem uma rotação ínfima. E desenvolve o fenômeno da face exposta e face virada.

A rotação ínfima também acontece com Mercúrio e Vênus, e todos os satélites próximos de seus primários.

O mesmo acontece com os anéis, planetas, satélites, sistema atômico.



Pode-se dividir o átomo em.

Diâmetro sólido.
Diâmetro do componente alquímico graceli.
Diâmetro periférico.
Diâmetro de faixas, disco e camadas graceli.



E os astros e galáxias em.

Diâmetro sólido.
Diâmetro periférico.
Diâmetro de faixas, disco e camadas graceli.



Assim, eles e seus primários se movimentam dentro da própria energia que os mesmos produzem no espaço. Até o alcance máximo, após esta fase eles passam a desenvolver os seus próprios movimentos, órbitas e inversões.




Assim, as galáxias se encontram dentro de uma bolsa graceli de energia produzida pela própria energia da galáxia.



Dentro desta bolsa graceli de energia há movimentos e órbitas de energia e de monopolos magnético externo.



Esta órbita de monopolos magnético varia e desenvolve inclinações, elipse e retorcimentos e tem movimentos próprios independente do movimento rotacional do astro. Isto se confirma com fotos tiradas do sol durante vinte anos.


E chega a ter movimentos retorcidos, invertidos e perpendiculares.



Os braços das espirais quando dentro da fase das camadas graceli sofrerão um encurtamento. E ao sair das camadas graceli se alongarão.


O mesmo acontece com os sombreiros.

Estas variações também acontecem com os balanços no alinhamento em relação a outras galáxias.



Toda galáxia que se encontra numa intensa rotação é que se encontra numa fase de nova para intermediaria. Ou seja, não é nova na fase de nebulosa, e não é velha numa fase de estrelas distante umas das outras.


Assim, temos.

Transrotação – rotação de átomos, astros e galáxias fora de um eixo ou ponto fixo no espaço – movimento transrotacional do astro.

Balanço rotacional inclinado em relação ao alinhamento.

Avanço e retorno rotacional no espaço.

Esticamento e arredondamento dos braços de galáxias e órbitas de astros. E camadas graceli.

Na transrotação o centro fica num dos lados, ou há uma variação [mudança] continuada do centro.

E que pode ser rotacional e transrotacional, fazendo por algum tempo o eixo do movimento no centro do sistema, e voltando o centro do movimento num dos lados. Assim, temos um movimento alternado – rotacional e transrotacional.


Alguns planetas, estrelas e cometas desenvolvem a transrotação.



Os estados fundamentais da matéria.

1- Sólida, liquida, gasosa e plasma.

2- De energia-campo, componente alquímico graceli, e magneto graceli. E espaço denso.


Isto explica o movimento anômalo das galáxias, e o seu comportamento quando em grupos como os aglomerados.


O magneto graceli é um estado primordial de campos e energia e que ainda não chegou a ser matéria. E não reflete a luz.

Por isto pode ser chamada de matéria escura. Não chegou ainda a ser radiação.


Mas, se distribui em todo espaço e forma uma camada em torno dos astros, galáxias e aglomerados.


Assim, a luz ao passar próximo de um astro tenderá a ter um pequeno desvio, porém isto não se deve a uma imaginaria curvatura do espaço, mas um efeito da camada e faixa graceli de energia.


Por isto que conforme a posição em relação ao mesmo astro, uma luz poderá ter variações nos desvios, ou menor ou maior. Pois poderá ser só da camada graceli, ou só da faixa graceli de energia.

E o desvio também depende da intensidade de energia das duas – faixas e camadas. E que estas dependem da intensidade de energia do astro que a produz.


Por isto que próximo de grandes estrelas há tantas variações nos movimentos dos astros.


E os determinantes são os estados da matéria energia no espaço.



Teoria graceli de astronomia e cosmologia de


Produção continuada
Mudança continuada.
Formas, fases, e fluxos continuados.
Afastamento continuado.
Esticamento continuado.
Inversalidade e retrogracidade continuada.
Órbitas e movimentos anômalos continuados.



A causa das distâncias entre os planetas se encontra na energia e faixas e camadas graceli. Isto explica na progressão maior que existe entre marte e júpiter, uma vez que há uma grande diferença entre os diâmetros dos dois planetas.

A astronomia graceli explica os fenômenos, fases, formas, fluxos, variações e inversões, mudanças, esticamento e encurtamento, e inversões continuada de órbitas.





Teoria graceli de astronomia e cosmologia anômala continuada.


Os astros quando dentro de sistemas de faixas e camadas e discos graceli tendem a se manter num alinhamento em relação ao equador solar e eclíptica.
  

Porém, quando saem deste sistema graceli de energia passam a desenvolver movimentos anômalos continuados e invertidos continuados.

Como quiralidade, inversão, fluxos, retorcimentos e lateralidade, fases.



Os fluxos podem ser comparados com um pendulo, onde o astro obedece quase um sistema de pendulo. Que chega até uma extremidade e depois retorna.



Isto é mais visível no movimento rotacional da terra quando nos referenciamos com os movimentos da lua, sol e estrelas.




O retorcimento continuado se deve aos monopolos magnéticos dos astros. Onde alguns astros possuem um retorcimento continuado mais acelerado.




Encontramos isto com mais intensidade no sol, na inclinação rotacional [axial] de Vênus, urano e plutão, onde eles com a sua aceleração de retorcimento continuada é mais intensa, e já desenvolverão uma inclinação rotacional de mais de noventa graus, e Vênus se movimenta de cabeça para baixo.


Esta variação anômala também acontece com a translação. Que já se encontra mais acentuada nos exosplanetas, cometas, asteróides, e estrelas em sistemas de galáxias.



Teoria graceli para sismos e tectônicos.

A causa principal são as variaçóes geoquânticas dentro do astro.

Estas variaçóes que ocorrem num bloco e sistema atômico numa grande quantidade são expelidas em forma de radiação, estas radiações produzem os sismos e deslocamentos de placas levando a formação de terremotos.

O terremoto é também uma erupção instantânea de energia térmica e magneto elétrico. Que partem dos fenômenos geoquânticos e geo magneto elétrico.

Os vulcões também surgem desta expelição geoquânticas de radiação térmica e magneto elétrico.

Um terremoto tem uma causa instantânea, enquanto um vulcão tem uma causa continuada. Ou seja, naquele ponto as radiações geoquânticas conseguem romper a estrutura do astro e manter a expelição.

Isto que faz com que alguns terremotos sejam mais fortes do outros.

Ou seja, é a intensidade destes blocos de processos geoquânticos que produzem expelição de energia na forma de radiação térmica e magneto elétrico.

Conforme a intensidade desta expelição que faz com que ajam maremotos e tisuname.

Com a retirada do petróleo o planeta perde um grande absorvidor de parte desta radiação térmica e magneto elétrico que é natural em todos os astros.

E que o planeta terra já passou por esta fase de intensa radiação e expelição. Pois o planeta está se afastando do Sol e a sua energia está em desintegração.

Isto é comum no planeta Vênus.

O alinhamento rotacional do planeta com o sol, e as radiações do sol tem ação direta sobre o planeta terra. Pois estamos dentro de uma camada de energia solar. Que é a camada de radiação térmica e magneto elétrico.

Esta camada vai até marte.

Foram observadas e filmadas algumas erupções de radiação no Sol. Esta energia tende a chegar até nós.

Com o aumento progressivo destes fenômenos pode haver um maior deslocamento rotacional dos pólos magnéticos do planeta. Pois no momento nos encontramos numa razão de 100 giros dos pólos magnéticos para um milhão de anos. 

Isto também  terá alterações nos fenômenos geoquânticos, térmico  e magneto elétrico.

Com o aumento destes fenômenos podemos ter vários problemas atmosféricos nas próximas décadas. E queimaduras no corpo.

Se todo petróleo for extraído, aí meu filho, não dá para onde correr.

Isto terá influência sobre a genética, com problemas para descendentes. E o número de câncer será aumentado. Serão mais agressivos, e a causa principal de mortes. Pois a radiação tem uma ação direta sobre o funcionamento dos seres vivos.

As plantas tenderão a diminuir de tamanho.




Teorema de graceli para geometria.

Autor. Ancelmo Luiz Graceli.


Postulado 1 - A soma do quadrado dos catetos [os dois lados menores de um triângulo] cresce à proporção que o ponto de intersecção entre os dois catetos se afasta da hipotenusa [lado maior].


Ou seja, se o triângulo abre. As áreas também crescem.



Área quadrada de a é diferente da soma da área quadrada de b e c. E cresce à proporção do afastamento do ponto de intersecção dos catetos b e c.



Postulado 2 - E a soma do quadrado dos catetos decresce à proporção que o ponto de intersecção se aproxima da hipotenusa.



Ou seja, os valores são variáveis.

Assim, o quadrado da hipotenusa nunca é igual ao quadrado da soma dos catetos.

E o quadrado da soma dos catetos sempre será crescente conforme o ponto de intersecção se afasta da hipotenusa.



E decrescente conforme o ponto de intersecção se aproxima da hipotenusa.



O teorema de Graceli difere do de Pitágoras.


Este teorema pode ser confirmado com experiência.



Exemplo.

O quadrado da hipotenusa de dez centímetros é cem centímetros quadrados.

E se cada cateto tiver nove centímetros, logo a soma do quadrado dos catetos é 162 centímetros quadrado.

E se cada cateto tiver seis centímetros, logo a soma do quadrado dos catetos é 72 centímetros quadrado.


Com isto se conclui que a soma do quadrado dos catetos é variável, e aumenta à proporção que se afasta da hipotenusa.


E diminui à proporção que se aproxima da hipotenusa.



Postulado 3 – a soma do quadrado dos catetos nunca será igual ao quadrado da hipotenusa.

Nenhum comentário:

Théorie de la cosmofisica - autocosmo. Théorie graceliana.

Théorie de la cosmofisica - autocosmo. Théorie graceliana.

Auteur - Ancelmo Luiz Graceli.


Ancelmoluizgraceli@hotmail.com
Tel. 27- 32167566 Rue Itabira, n° 5, Ensemble Itapemirim, Rose du
Penha, Cariacica, E.S. cep.29143 -269. Brésilien, enseignant,
graduation dans philosophie et chercheur théorique.
Livres publiés - ASTRONOMIE, et MONDE des INTERACTIONS PHYSIQUES.

Collaborateur - Marcio Piter Rangel.

Travail présenté SECT - Saint-Esprit - Brésil.
Et la Société Brésilienne de Physique.
Introduction publiée dans le WEB par le Vestibule Facteur Brésil -
Canal Profil. Le jour 30.01.2008. Si autres théories avec des
fondements et tu formules ont eu de l'acceptation, par que celles-ci
n'auront pas ? Donc, possède tous les fondements et toutes les formes
de calculs, et que se confirment avec la réalité et le commentaire
jusqu'à aujourd'hui atteint. Avec plus de cent et dix formules, avec
les les plus variées formes de dese calculer d'un même phénomène,
avec plus de deux cents fondements dans toutes les secteurs de la
physique moderne. De même, avec de nouvelles prévisions à
l'intérieur de la cosmologie et de l'astronomie.

Présenté Revista de Ensino de SBFISICA. Soced. Bras. de Física.

Brazilian Journal of Physics - SBFISICA
COSMOFÍSICA et ASTROPHYSIQUE.

PRODUCTEUR DE LUI.

L'univers est un système vivant et dynamique de production et une
structuration, où produit sa propre énergie pour son fonctionnement,
structuration et dynamique, étant que l'énergie agrandit à la
proportion qui va en réaliser son fonctionnement, et est un système
de courant, où le même interaction qui produit les éléments
chimiques, produit les astros par fusion. Et aussi produit des champs,
du maser, augmentations températures, dynamique, orbites, structures
des astros, et l'éloignement dans l'univers. C'est-à-dire, il est un
producteur de lui, de sa structure et de son fonctionnement. Ainsi,
c'est une constante production d'intégration et de désintégration. 


ÂGE DE L'UNIVERS.

Avec ceci, se peut déduire que l'univers ne possède pas une origine
déterminée dans le temps, beaucoup moins dans quelque place de
l'espace, et ne possède pas une origine déterminée dans la
structuration de la matière et des astros qui le composent.
Néanmoins, a âge infini, donc l'espace dense a toujours été là et
en produire de l'énergie, matière, jusqu'à dearriver à des astros.


FORME D'ÊTRE DE L'UNIVERS

De contraction par l'espace dense.
D'éloignement par le maser.
D'agglutination par le matériel du maser.

L'univers passe par des courants tant que produit les éléments
chimiques dans les interactions de fusions nucléaires dans le centre
des astros, où produit de l'énergie au à traitement les
interactions physiques et produire sa structure d'astros, orbites et
dynamique.

SUR le MOUVEMENT

Si le mouvement celle-ci rapporté avec le maser, augmentations
températures, et interactions physiques à l'intérieur des astros
qui sont libérées dans l'espace dense pour développer leur
dynamique. Bientôt le mouvement est naturel et dynamique, et varie
comme les situations de production d'énergie dans laquelle se trouve
l'astro. Et si la dynamique obéit à un courant, ensuite le mouvement
est dynamique, disforme et variable.



SUR l'ESPACE DENSE.

Espace dense produit la matière, tant que la matière déjà produite
produit les astros et les éléments chimiques vont en être fondu
dans les étoiles et secondaires.
SUR la MATIÈRE

La matière sont des filaments de l'espace dense contracté, qui va
structurer l'univers dans matière, astros, éléments chimiques,
maser, augmentation température, et dans l'univers acte dynamique.


SUR COSMO

L'univers est acte dynamique et tant que produit l'énergie les
interactions physiques vont en être des processadas, et le maser en
agissant et en éparpillant la matière, les astros sont dans
dynamique par l'énergie elle-même et maser, les éléments chimiques
évoluent et ils s'améliorent, améliorant la matière et en
structurant l'univers, la cosmo se contracte par l'espace dense, et
s'élargit par l'action du maser, ensuite l'univers est vivant et acte
dynamique.



SUR le TEMPS

Le temps n'existe pas, ce qui existe est la minuterie de la mémoire
marquée par le fonctionnement du cerveau mange forme de conscience
dont arrive entre des intervalles d'événements. Nous pouvons
considérer le temps comme quelque chose secondaire, qui existe en
fonction du fonctionnement de la conscience produite par le
fonctionnement du cerveau. La vitesse de la minuterie de l'homme est
la vitesse de fonctionnement du cerveau humain.


SUR l'ÉLOIGNEMENT et l'ÉLARGISSEMENT de COSMO.

Ainsi, la dynamique de l'univers est provenant du constant maser, donc
que son élargissement se trouve dans progression décroissante.
Et les astros sont apparues de l'agglutination de l'espace dense, tant
que le maser et les hautes températures désintègrent les astros.
Bientôt dans l'avenir et en cette partie et stage de l'univers dans
lequel dans eux nous trouvons les astros seront plus froids et
moindres.

Ainsi, les astros sont libérées et libres dans l'espace, et non
arrêtées par de prétendus champs, où la rotation des galaxies est
mineur que la traduction.
Tant que la matière apparaît de l'espace dense, où sont produites
les astros, autres se forment aux autres points de l'espace, tant que
la dynamique est commune les tous les astros et non seulement dans les
galaxies. Preuve de ceci nous avons le système solaire. Avec ceci
nous voyons que l'élargissement est une production constante par le
maser, et non par une supposée grande explosion. Donc le même
phénomène qui produit la traduction, rotation, orbites, produit
aussi l'élargissement, donc que l'éloignement est progressif
décroissant, grandit progressivement, néanmoins a un pourcentage de
diminution dans la progression.


L'univers tendra à se dissiper et se diluera dans des astros
moindres, et avec petite énergie, tant qu'en autres parties
s'initiera autres univers avec le matériel de l'espace dense.
L'univers possède trois formes fondamentales de production un 1 -
structurel, qui produit la matière et de la forme à elle, 2-outra
d'action qui donne vie la matière, qui sont les interactions
physiques, énergie et maser à l'intérieur des astros.
de 3 - de production de nouvelles astros et éléments chimiques.


SUR la FORMATION et l'ÂGE de ASTROS du SYSTÈME SOLAIRE

Il se confirme que les asteroïdes ne sont pas parfaitement ronds,
donc pour ils la plupart sont un peu aplati et allongé. Il se
confirme qu'ils sont en résultant de tablettes de matériel
expulsées de quelque planète ou du Soleil, étant des masses plus
inteiriça et produites d'un seuls moments, tant que des planètes et
des satellites sont des astros ronds, où se confirment qu'a y eu une
formation lente de superposition de composantes de leurs primaires
expulsées par des masers. Ceci si confirme que les sphériques ont
pris plus temps pour se former, et confirme la théorie ici exposée.

Troisième partie.

COSMOFÍSICA d'INTERACTIONS et ÉNERGIE.

L'univers ne pourrait pas apparaître d'une boule d'énergie ou de
matière pour exploser, donc apparaît à la question, de où est
apparue cette boule de matière, et combien temps elle était là
avant l'explosion, et ce qui l'a formée.

Nous voyons que la production de la matière et de l'énergie est un
processus constant de fusions nucléaires, une évolution d'éléments
chimiques et une structuration de nouvelles astros et des galaxies
dans l'espace et autres constants phénomènes qui forment notre lent
univers. Bientôt, l'univers est sans début et sans fin, dans le
temps, dans l'espace, dans la matérialisation et la production.

La phase de l'astrophysique et la cosmofísica, qui est de la
production d'énergie, de maser et de ce de la désintégration par
maser et de l'intégration de matériel avec petite température dans
l'espace, et où sont apparues les astros périphériques.

Si l'univers était apparu d'une grande explosion la matière déjà
existerait avant l'univers, et ceci et possible de ne pas être, ce
que nous voyons en vérité est que la matière est partie d'une
procédure lente, comme est lente la formation des éléments
chimiques, comme c'est lente et constante la formation des astros et
de l'univers lui-même.

Une des preuves puissantes de la formation lente de l'univers et de
son début de dehors pour à l'intérieur si en se fermant sur lui
jusqu'à se rendra matérialisé, et que les astros sont constituées
de couches avec plus grandes et moindres densités, avec plusieurs
couches un sur les autres, et un refroidissement progressif jusqu'à
l'intérieur des astros. Bientôt, l'univers n'apparaîtrait pas d'un
point, de un à l'intérieur pour dehors.



STRUCTURES DANS DES COUCHES.

Ainsi, l'univers deêtre un processus lent, et de dehors pour à
l'intérieur et fait de couches, nous constatons dans la rotation et
la dynamique des anneaux de Saturne, comme aussi dans la structure de
l'atome, et dans la structure de la planète Terra, ou même dans
l'atmosphère de la Terre et de Jupiter. La matière et l'univers sont
faits de dehors pour à l'intérieur par l'espace dense, et les astros
aussi par le matériel du maser.

Une grande explosion ne donnerait pas du début à l'univers, donc ce
s'était le marie déjà existerait avant l'explosion, et ce qui
produirait la structure et l'énergie pour exploser.

Les éléments chimiques pesé aussi sont des produits d'un processus
lent de formation.

PHASES - PLUSIEURS UNIVERS.

Il y a plusieurs univers. De bulle d'espace dense, d'énergie d'espace
dense, et de la matière ait exempté dans l'espace, et l'de la
matière estruturalizada dans des astros et le maser et les
augmentations températures.

Les champs, atomes, astros et la cosmo elle-même comme tout sont
déterminés par l'énergie et l'intensité des interactions physiques
dans lesquelles ils se trouvent comme aussi les orbites, dynamiques
des astros et atomes. Même l'évolution des éléments chimiques et
de l'évolution de la matière et des astros et de la cosmo comme tout
est en résultant de l'intensité des interactions physiques et de la
production d'énergie.

Les étoiles brillent grâce à les fusions nucléaires spontanés
dans leurs coeurs, où des éléments légers sont transformés dans
des éléments chimiques pesé.

Nous voyons dans l'univers que tant que des étoiles diminuent autres
fleurissent tout ceci se donnent dans un processus lent de création
et brouillage dans de nouveaux éléments et nouvelles astros.

Avec ceci o cosmo se rend infini dans son origine et dans la
production, nous voyons qu'y a plusieurs types d'univers un plus
vieux, autres plus nouveaux et autres différents, qu'est créé par
un Dieu calme, construisant cosmos, êtres et âmes pour le bien.


CONTESTATION de l'EXPANSION.

Ce que donne une apparence d'avoir une immense expansion sont la
traduction et à rotation des galaxies, en vérité la traduction est
immensement plus grande que l'éloignement entre les astros.

Si les astros étaient si en s'éloignant en ligne droite par l'âge
proposition jusqu'à ici de l'univers, tous les astros seraient aussi
éloignés que serait impossible de de voir ni le Soleil, plus le
rouge de l'effet Doppler. Il se conclut que l'univers n'est pas dans
expansion, mais dans traduction et rotation, et un éloignement minime
milliards de fois moindres dont quelconque traduction.
Toutes les galaxies sont si en ouvrir comme un tournesol,
c'est-à-dire, si en s'éloignant de son centre, et dans traduction et
rotation donc que nous avons une notion d'une immense expansion,
néanmoins ceci est une apparence de l'effet de la traduction et une
rotation des galaxies, donc du contraire elles seraient infiniment
éloigné un des autres, étant impossible d'd'enregistrer leur
position ou même quelconque forme de lumière, même si du Soleil.
Ils vu que possèdent origine infinie et production constante.

Donc nous avons la notion de que toutes sont si s'en éloigner du
Soleil, donc avec la rotation et la traduction l'effet Doppler pour le
rouge est enregistré avec plus grande intensité, et qui donne une
apparence dont le Soleil est dans le centre de l'univers, donc le
mouvement est plus translacional et dont rotative d'éloignement.

Si l'expansion était produit d'une grande explosion les galaxies
infiniment éloignés et seraient déjà garées dans l'espace.
Ainsi, deêtre possible de détecter l'apparence des galaxies et sa
dynamique, constate que l'univers ne s'est pas donné lieu d'une
grande explosion et ni la prétendue expansion est produit d'une
grande explosion, ensuite l'univers est infiniment vieux, et sa
prétendue expansion est origine et produit de son maser, et est
freinée par l'espace dense. Et partie de ce que nous détectons comme
expansion est l'apparence de la traduction et la rotation des
galaxies.

Avec le temps pour la formation de la matière, avec le temps de
l'évolution des éléments chimiques, formation des astros,
esferficação de la structure externe des astros, se voient que
l'univers est infiniment vieux, ensuite si la prétendue expansion est
rapportée à une supposée grande explosion ne donnerait pas pour
détecter l'existence des galaxies dans l'espace, donc seraient
infiniment éloignées.

Comme aussi, de où apparaîtrait la matière pour deproduire une
grande explosion.

L'origine de la matière par l'espace dense, évolution des éléments
chimiques, formation et esferificação presque que parfaite des
astros, des couches de l'atmosphère et de la structure des astros et
l'existence des galaxies confirme la théorie de l'origine de
l'univers par l'espace dense, la production de l'univers par les
interactions physiques et les fusions. Et la dynamique par l'énergie,
l'impulsion par le maser et par les interactions physiques, comme
aussi le frein cosmique de la dynamique des astros par l'espace dense.

Ainsi, l'univers n'a pas été produit au un seuls moments dans une
grande explosion et ne se trouve aussi pas dans expansion, mais dans
un éloignement minime et insignifiant, des milliards de fois moindres
dont quelconque vitesse de traduction et est facile de se
représenter.

Si la planète Netuno a autant kilomètres d'éloignement du Soleil et
lui s'est développés jusqu'aujourd'hui à combien à de baisses de
prix autour du Soleil et avec que vitesse. Ce calcul sert pour
quelconque astro.


CALCUL D'ÉLOIGNEMENT DE L'UNIVERS.

Éloignement dans km du primaire/nombre de baisses de prix sur
l'primaire * arc de s'éloigne dans km de la traduction = la valeur
approximative d'éloignement d'une astro depuis le début de sa
formation.

Exemple.

Le rayon du Soleil jusqu'à la Terre a 150.000.000 de km, étant que
je le circule dans baisse de prix a approximativement 3,5 fois ce
rayon, et que la Terre a déjà donné plus de 1.000.000 de baisses de
prix, c'est-à-dire, nous pour decalculer l'éloignement de la Terre,
avons que
Considérations.

Preuves dont l'univers sont des processus de structuration infinie.

Ce que preuve que l'univers si structure par un processus lent est à
travers l'esferificação des astros et que la terre être formée du
coeur et des couches, donc la preuve que les astros sont formées de
superposition de matériels petits qui ont été expulsés par autres.
Donc si l'univers était produit au un seuls moments par une grande
explosion la terre serait formée par une tablette inteiriço.
Avec l'esferificação et les couches preuve que l'univers est des
milliards de fois plus vieilles de ce que se pense aujourd'hui. 

Et si c'est infiniment vieux et en considérant la vitesse et
l'apparence pour le rouge observé, avec ceci se conclut que nous ne
verrions le soleil et aucune étoile dans l'espace, donc le temps qui
se trouve dans vitesse elles seraient infiniment éloigné, et ce ne
serait capable d'observer aucune astro dans l'espace.

Considérations sur une théorie de la cosmologie et astronomie.

Une théorie de la cosmologie et de l'astronomie doit se baser dans
l'univers général, de l'origine de la matière, des particules,
origine des éléments chimiques et sa structuration, traitement, et
évolution, fusion nucléaire des astros, maser, température,
structuration et structure des astros, l'univers comme un système
dans évolution dans sa constitution macro, le général et le micron.

Ce que c'est l'univers.
C'est espace dense, matière densificada, processus et structure,
courants et évolution, sans début et fin.

La structure de l'espace dense.
Comme les gaz qui sont légers, invisibles ils et flottent l'espace
dense est des millions de fois petite densificado. 

Hypothèse fausse de la grande explosion.
Tout avant exploser premier doit être formé de quelque élément, ou
de quelque structure de matière ou d'espace dense, ensuite est fausse
l'hypothèse de la grande explosion. 

Sur le temps cosmologique.

Le temps cosmologique est le temps qui représente l'énergie et le
traitement dans un système d'astros.

Cosmofísica.

Univers de processus infimes.

Ce que componhe et détermine la cosmo dans sa structure sont leurs
processus physiques, production de particules et éléments chimiques
et son évolution, dans les coeurs où les fusions estelares arrivent,
c'est-à-dire, l'univers micron détermine la macro et le général,
un système de galaxies seulement va s'ouvrir conforme à l'intensité
de processus physiques qui sont produits dans le système. Il aura
lumière et formes et courants, composantes chimiques, fusions
conforme le traitement physique général.

De la multiplicité de l'univers.

L'univers est multiple, c'est-à-dire, sont plusieurs dans plusieurs
stages d'origine, traitement, structuration, courant et
désintégration.
Il a origine par la densité de l'espace qui forme la matière,
ensuite l'énergie et pendant le processus forme les éléments
chimiques et les astros.

Du courant de l'univers.

L'univers si structure de dehors pour à l'intérieur [ par
intégration de l'espace dense ] après à l'intérieur pour dehors [
par désintégration de la matière ] par les processus et les fusions
de la matière et dans les coeurs des astros.
Se réintègre à nouveau personne en formation astros moindres et
avec petite énergie, ensuite se désintègre dans maser, et se
réintègre dans astro, et le courant et les processus continue
jusqu'à la matière à se rendre diffuse et avec peu d'énergie. 

Comme exemple a de l'espace dense et la matière, de la matière à
l'astro, l'étoile qui produit du maser, qui va produire planètes,
qui va produire du maser et l'atmosphère, qui va produire du maser,
des anneaux et satellites, et le courant et processus estruturantes et
desistruturantes continuent infiniment jusqu'à la matière diffuse. 

Où prend la matière évoluer et produire les éléments chimiques.
Ainsi l'univers est infini et sans forme déterminée.
Ainsi, l'univers se trouve dans contraction et élargissement interne,
mais non dans expansion et oui dans éloignement infime, se trouve
dans traduction et rotation, structuration, courants et évolution de
leurs composantes.
Comme ils uns commencent son origine, autres se trouvent dans des
courants et des processus, comme autres déjà se trouvent dans la
phase finale qui est dans matière diffuse.

Cosmofísica nucléaire.
Fusions nucléaires.

Les fusions nucléaires des étoiles maintient par un bon temps la
température des astros, avec ceci fait avec que l'univers se traite
lentement, et puisse maintenir son courant et évolution de la
matière et des éléments chimiques et aide transforme des éléments
légers dans lourds, et va produire l'énergie et la dynamique des
astros, par lesquelles les secondaires plus éloignés possèdent
petit dynamique et les orbites sont plus irrégulières.
C'est-à-dire, satellites de planètes, planètes d'étoiles.

Ainsi, l'univers et son courant et structuration doivent sa production
d'énergie, comme aussi l'évolution des éléments et la dynamique
des astros.

La production d'énergie va déterminer aussi les couches et
esferificação des astros.
Univers non expansionniste et non stationnaire.
Ainsi si confirme que l'univers se trouve dans éloignement infime et
non dans expansion, et ne se trouve pas garé donc possède rotation,
traduction, courants, évolution et autres phénomènes.

Évolutif.
Il se trouve dans évolution dans sa structure micron et macro, des
éléments aux astros. Et si éternise comme matière avec densité
diffuse
.
Ce n'est pas courbe et ni droit.
Commentaire.
La théorie de energeticidade et de maser qui traite de l'astronomie
sera présentée dans autre texte. Avec plus de cent et dix formules
en prouvant les deux théories, donc l'utilisation diamètre, maser,
température, rotation et vitesse équatoriale. Et utilisation
n'éloigne pas masse ou gravitation

TEORIA DA COSMOFÍSICA – AUTOCOSMO

TEORIA DA COSMOFÍSICA – AUTOCOSMO.

Teoria Graceliana.

 

Autor – Ancelmo Luiz Graceli.


Ancelmoluizgraceli@hotmail.com
Tel. 27- 32167566
Rua Itabira, nº 5, Conjunto Itapemirim, 
Rosa da Penha, Cariacica, E.S. cep.29143 -269.
Brasileiro, professor, graduação em filosofia e pesquisador teórico.
Livros publicados- ASTRONOMIA, e MUNDO DAS INTERAÇÕES FÍSICAS.

Colaborador - Marcio Piter Rangel.

Trabalho apresentado a SECT- Espírito Santo- Brasil.
E a Sociedade Brasileira de Física.
Introdução publicada na WEB pelo Portal Fator Brasil - Canal Perfil. No dia 30.01.2008.
Se outras teorias com fundamentos e formulas tiveram aceitação, por que estas não terão? Pois, possui todos os fundamentos e todas as formas de cálculos, e que se confirmam com a realidade e a observação até hoje alcançada. Com mais de cento e dez fórmulas, com as mais variadas formas de se calcular um mesmo fenômeno, com mais de duzentos fundamentos em todas as áreas da física moderna. Inclusive, com novas previsões dentro da cosmologia e astronomia.

Apresentado a Revista de Ensino da SBFISICA. Soced. Bras. de Física.
Brazilian Journal of Physics – SBFISICA.

 

COSMOFÍSICA E ASTROFÍSICA.

PRODUTOR DE SI.

O universo é um sistema vivo e dinâmico de produção e estruturação, onde produz a sua própria energia para o seu funcionamento,estruturação e dinâmica, sendo que a energia aumenta à proporção que vai realizando o seu funcionamento, e é um sistema de fluxo, onde a mesma interação que produz os elementos químicos, produz os astros por fusão. E também produz campos, radiação, altas temperaturas, dinâmica, órbitas, estruturas dos astros, e o afastamento no universo. Ou seja, ele é um produtor de si, da sua estrutura e de seu funcionamento. Assim, é uma constante produção de integração e desintegração. 


IDADE DO UNIVERSO.

Com isto, pode-se deduzir que o universo não possui uma origem determinada no tempo, muito menos em algum lugar do espaço, e não possui uma origem determinada na estruturação da matéria e dos astros que o compõem. Porém, tem idade infinita, pois o espaço denso sempre esteve aí e produzindo energia, matéria, até chegar a astros.


FORMA DE SER DO UNIVERSO

De contração pelo espaço denso.
De afastamento pela radiação.
De aglutinação pelo material da radiação.

O universo passa por fluxos enquanto produz os elementos químicos nas interações de fusões nucleares no centro dos astros, onde produz energia ao processar as interações físicas e produzir a sua estrutura de astros, órbitas e dinâmica.

SOBRE O MOVIMENTO

Se o movimento esta relacionado com a radiação, altas temperaturas, e interações físicas no interior dos astros que estão soltos no espaço denso para desenvolverem a sua dinâmica. Logo o movimento é natural e dinâmico, e varia conforme as situações de produção de energia em que se encontra o astro. E se a dinâmica obedece a um fluxo, logo o movimento é dinâmico, disforme e variável.



SOBRE O ESPAÇO DENSO.

Espaço denso produz a matéria, enquanto a matéria já produzida produz os astros e os elementos químicos vão sendo fundidos nas estrelas e secundários.

SOBRE A MATÉRIA

A matéria são filamentos do espaço denso contraído, que vai estruturar o universo em matéria, astros, elementos químicos, radiação, alta temperatura, e no universo auto dinâmico.


SOBRE O COSMO

O universo é auto dinâmico e enquanto produz a energia as interações físicas vão sendo processadas, e a radiação agindo e espalhando a matéria, os astros estão em dinâmica pela própria energia e radiação, os elementos químicos evoluem e se aprimoram, aprimorando a matéria e estruturando o universo, o cosmo se contrai pelo espaço denso, e se alarga pela ação da radiação, logo o universo é vivo e auto dinâmico.



SOBRE O TEMPO

O tempo não existe, o que existe é o cronômetro da memória marcado pelo funcionamento do cérebro como forma de consciência do que acontece entre intervalos de acontecimentos. Podemos considerar o tempo como algo secundário, que existe em função do funcionamento da consciência produzida pelo funcionamento do cérebro. A velocidade do cronômetro do homem é a velocidade de funcionamento do cérebro humano.


SOBRE O AFASTAMENTO E ALARGAMENTO DO COSMO.

Assim, a dinâmica do universo é proveniente da constante radiação, por isso que seu alargamento se encontra em progressão decrescente.
E os astros surgiram da aglutinação do espaço denso, enquanto a radiação e as altas temperaturas desintegram os astros. Logo no futuro e nesta parte e estágio do universo em que nos encontramos os astros serão mais frios e menores.

Assim, os astros estão soltos e livres no espaço, e não presos por supostos campos, onde a rotação das galáxias é menor que a translação.
Enquanto a matéria surge do espaço denso, onde são produzidos os astros, outros se formam em outros pontos do espaço, enquanto a dinâmica é comum a todos os astros e não só nas galáxias. Prova disto nós temos no sistema solar. Com isto vemos que o alargamento é uma produção constante pela radiação, e não por uma suposta grande explosão. Pois o mesmo fenômeno que produz a translação, rotação, órbitas, produz também o alargamento, por isso que o afastamento é progressivo decrescente, cresce progressivamente, porém tem um percentual de decréscimo na progressão.


O universo tenderá a se dissipar e se diluir em astros menores, e com menos energia, enquanto em outras partes se iniciará outros universos com o material do espaço denso.
O universo possui três formas fundamentais de produção 
1 - uma estrutural, que produz a matéria e da forma a ela, 
2-outra de ação que dá vida a matéria, que são as interações físicas, energia e radiação no interior dos astros.
3 - de produção de novos astros e elementos químicos.


SOBRE A FORMAÇÃO E IDADE DOS ASTROS DO SISTEMA SOLAR

Confirma-se que os asteróides não são perfeitamente redondos, pois na sua maioria são um pouco achatados e alongados. Confirma-se que eles são resultados de blocos de material expelidos de algum planeta ou do Sol, sendo massas mais inteiriça e produzidas de um só momento, enquanto planetas e satélites são astros redondos, onde se confirma que houve uma formação lenta de sobreposição de componentes de seus primários expelidos por radiações. Isto se confirma que os esféricos levaram mais tempo para se formar, e confirma a teoria aqui exposta.

Terceira parte.

COSMOFÍSICA DE INTERAÇÕES E ENERGIA.

O universo não poderia surgir de uma bola de energia ou matéria para explodir, pois surgiria à pergunta, da onde surgiu esta bola de matéria, e quanto tempo ela estava ali antes da explosão, e o que a formou.

Vemos que a produção da matéria e energia é um processo constante de fusões nucleares, evolução de elementos químicos e estruturação de novos astros e galáxias no espaço e outros constantes fenômenos que formam o nosso lento universo. Logo, o universo é sem inicio e sem fim, no tempo, no espaço, na materialização e produção.

A fase da astrofísica e cosmofísica, que é da produção de energia, radiação e a da desintegração por radiação e integração de material com menos temperatura no espaço, e onde surgiram os astros periféricos.

Se o universo tivesse surgido de uma grande explosão a matéria já existiria antes do universo, e isto não e possível de ser, o que vemos na verdade é que a matéria é parte de um processo lento, como é lenta a formação dos elementos químicos, como é lenta e constante a formação dos astros e do próprio universo.

Uma das provas contundentes da formação lenta do universo e do seu inicio de fora para dentro se fechando sobre si até tornar-se materializado, e que os astros são constituídos de camadas com maiores e menores densidades, com várias camadas umas sobre as outras, e um resfriamento progressivo até o interior dos astros. Logo, o universo não surgiria de um ponto, de dentro para fora.



ESTRUTURAS EM CAMADAS.

Assim, o universo por ser um processo lento, e de fora para dentro e feito de camadas, constatamos na rotação e dinâmica dos anéis de Saturno, como também na estrutura do átomo, e na estrutura do planeta Terra, ou mesmo na atmosfera da Terra e de Júpiter. A matéria e o universo são feitos de fora para dentro pelo espaço denso, e os astros também pelo material da radiação.

Uma grande explosão não daria inicio ao universo, pois se fosse o caso ele já existiria antes da explosão, e o que produziria a estrutura e a energia para explodir.

Os elementos químicos pesados também são produtos de um processo lento de formação.

FASES - VÁRIOS UNIVERSOS.

Há vários universos. O de bolha de espaço denso, o de energia de espaço denso, e o da matéria livre no espaço, e o da matéria estruturalizada em astros e radiação e altas temperaturas.

Os campos, átomos, astros e o próprio cosmo como um todo são determinados pela energia e intensidade das interações físicas em que eles se encontram como também as órbitas, dinâmicas dos astros e átomos. Mesmo a evolução dos elementos químicos e evolução da matéria e astros e do cosmo como um todo é resultado da intensidade das interações físicas e produção de energia.

As estrelas brilham graças às fusões nucleares espontâneas em seus núcleos, onde elementos leves são transformados em elementos químicos pesados.

Vemos no universo que enquanto umas estrelas minguam outras floresçam tudo isto se dá num processo lento de criação e transformação em novos elementos e novos astros.

Com isto o cosmo se torna infinito na sua origem e na produção, vemos que há vários tipos de universos uns mais velhos, outros mais novos e outros diferentes, que é criado por um Deus calmo, construindo cosmos, seres e almas para o bem.


CONTESTAÇÃO DA EXPANSÃO.

O que dá uma aparência de haver uma imensa expansão são a translação e a rotação das galáxias, na verdade a translação é imensamente maior que o afastamento entre os astros.

Se os astros estivessem se afastando em linha reta pela idade proposta até aqui do universo, todos os astros estariam tão distantes que seria impossível de ver nem o Sol, quanto mais o vermelho do efeito Doppler. Conclui-se que o universo não está em expansão, mas sim em translação e rotação, e um afastamento mínimo bilhões de vezes menores do que qualquer translação.

Todas as galáxias estão se abrindo como um girassol, ou seja, se afastando do seu centro, e em translação e rotação por isso que temos uma noção de uma imensa expansão, porém isto é uma aparência do efeito da translação e rotação das galáxias, pois do contrário elas estariam infinitamente distantes uma das outras, sendo impossível de registrar a sua posição ou mesmo qualquer forma de luz, até mesmo do Sol. Uma vez que possuem origem infinita e produção constante.

Por isso temos a noção de que todas estão se distanciando do Sol, pois com a rotação e a translação o efeito Doppler para o vermelho é registrado com maior intensidade, e que dá uma aparência de que o Sol está no centro do universo, pois o movimento é mais translacional e rotacional do que de afastamento.

Se a expansão fosse produto de uma grande explosão as galáxias estariam infinitamente distantes e já estacionadas no espaço.
Assim, por ser possível detectar a aparência das galáxias e a sua dinâmica, constata que o universo não se originou de uma grande explosão e nem a suposta expansão é produto de uma grande explosão, logo o universo é infinitamente velho, e a sua suposta expansão é origem e produto da sua radiação, e é freado pelo espaço denso. E parte do que detectamos como expansão é a aparência da translação e rotação das galáxias.

Com o tempo para a formação da matéria, com o tempo da evolução dos elementos químicos, formação dos astros, esferficação da estrutura externa dos astros, se vê que o universo é infinitamente velho, logo se a suposta expansão é relacionada a uma suposta grande explosão não daria para detectar a existência das galáxias no espaço, pois estariam infinitamente distantes.

Como também, da onde surgiria a matéria para produzir uma grande explosão.

A origem da matéria pelo espaço denso, evolução dos elementos químicos, formação e esferificação quase que perfeita dos astros, camadas de atmosfera e de estrutura dos astros e a existência das galáxias confirma a teoria da origem do universo pelo espaço denso, a produção do universo pelas interações físicas e fusões. E a dinâmica pela energia, impulsão pela radiação e pelas interações físicas, como também o freio cósmico da dinâmica dos astros pelo espaço denso.
Assim, o universo não foi produzido num só momento numa grande explosão e também não se encontra em expansão, mas sim num afastamento mínimo e insignificante, bilhões de vezes menores do que qualquer velocidade de translação e é fácil visualizar.

Se o planeta Netuno tem tantos quilômetros de afastamento do Sol e ele desenvolveu até hoje quantas voltas em torno do Sol e com que velocidade. Este cálculo serve para qualquer astro.


CÁLCULO DE AFASTAMENTO DO UNIVERSO.

Afastamento em km do primário / número de voltas sobre o primário * arco da distancia em km da translação = o valor aproximado de afastamento de um astro desde o inicio da sua formação.

Exemplo.

O raio do Sol até a Terra tem 150.000.000 de km, sendo que o circulo em volta tem aproximadamente 3.5 vezes este raio, e que a Terra já deu mais de 1.000.000 de voltas, ou seja, para calcularmos o afastamento da Terra, temos que; dividirmos 1 raio / [pelo arco da translação multiplicado por numero de voltas].

150.000.000 / 750.000.000 * número de translações da Terra sobre o Sol.
1 / [3.5 * 1.000.000] = 0. 00000002 km por ano.

Ou seja, o afastamento da Terra é menor do que 1metro por ano, enquanto o planeta desenvolve um percurso de translação de mais de 750.000.000 km por ano.

Não foi levado em conta aqui o tempo para a esferificação do planeta.

Com isto se conclui que o alargamento é insignificante em termos observacionais, porém este afastamento é fundamental. Pois enquanto um planeta se afasta, vai dando lugar a outro para ser produzido, é como uma produção organizada, e que ao se afastar do Sol ele vai processando a sua energia e esfriando, dando condições para que a matéria evolua e a vida possa brotar e ter um corpo vivo de matéria evoluída.

E que a aparência para o vermelho é resultado da translação e rotação, pois o afastamento é insignificante. Logo, o universo se encontra num mínimo afastamento imperceptível e não em expansão, pois se o que é observado fosse uma expansão os astros estariam tão distantes uns dos outros que da Terra não daria para ver o Sol, nem de telescópico. Assim, lhes proponho uma outra teoria, que é a do universo fluxonário estruturante.

Com isso se conclui que não existe uma expansão, mas sim um afastamento mínimo, quase insignificante. Porém fundamental para os processos de energia do astro e de todo sistema em que ele faz parte, e o que dá a aparência ao vermelho no efeito Doppler é o deslocamento da translação dos astros e a rotação das galáxias no espaço.

Isso serve para todos os sistemas de universo na forma de matéria e energia.


COM A TEORIA DA ENERGETICIDADE É POSSÍVEL PROVAR

1- a progressão das distancias entre os planetas, em que os mais distantes o afastamento sempre aumenta e é maior.

2- E, por que Júpiter é mais de 100 vezes maior que a Terra.

3- Por que Plutão é o primeiro planeta e está a mais de 75 vezes mais distantes do que a Terra em relação ao Sol.

4-Por que Saturno e Júpiter possuem mais de 10 satélites enquanto os dois mais próximos não possuem satélites. E por que o numero de satélite aumenta conforme o diâmetro do planeta.

5- Por que Júpiter possui uma rotação mais de 100 vezes maior que Mercúrio.

6- por que os maiores astros, como estrelas, planetas e satélites são esféricos.




PROVA.

Constatação de que os astros esfriam e mesmo em relação aos planetas que quanto mais distantes do Sol são mais velhos, com mais energia já processada e gasta e são mais frios.

Os planetas se formaram de dentro para fora, por camadas de energia e matéria expelidas do Sol, sendo aglutinadas para formar os planetas e satélites, isso se confirma na aparência da atmosfera de Saturno e Júpiter, as camadas que forma a terra e a esferificação.


TEMPO DE VIDA DO UNIVERSO.
Com o exposto acima o universo é infinito na sua origem e sem fim, no espaço e no processamento.


SOBRE A ORIGEM DOS SECUNDÁRIOS E SUA DINÂMICA.

FILAMENTOS DE ATMOSFERA E ESFERIFICAÇÃO.

Aparentemente, há alguma coisa colorida na atmosfera de Júpiter, e essa atmosfera se espirala de tal forma que as substancias coloridas se concentram amplamente em certas latitudes e se espalham para formar os cinturões. Por isso ocorre em certas latitudes e em outras, não se pode dizer - ainda nos é difícil explicar a circulação da atmosfera terrestre, e no momento não temos esperança dos intricados detalhes da atmosfera de Júpiter.
Se fosse apenas uma questão de rotação, poderíamos esperar que os cinturões de Júpiter fossem perfeitamente retos e uniformes, eles não o são. Há sempre pequenas saliências, reentrâncias, e manchas aparecendo de um momento para outro, expandindo-se, contraindo-se, escurecendo, clareando. Talvez seja resultado de tempestades jupterianas, suficientemente violentas para alterar a circulação normal da atmosfera, que produz os cinturões, seguindo cursos ditados não somente pela rotação do planeta, mas também por irregularidade da superfície sólida situada abaixo, ou radiação e atividades tectônicas.
Nos anéis de Saturno também há estas irregularidades e uma rotação mínima, e no satélite Amaltéia se constata que ele acompanha com sua translação a rotação de Júpiter, como um filho próximo da mãe.

Isso só nos vem confirmar o exposto até aqui, que os satélites se originam de filamentos de gases da atmosfera dos planetas, e que a translação se origina juntamente com a origem do próprio satélite, ou mesmo pode-se dizer que eles antes mesmo de ser um astro já se encontram em dinâmica.

A rotação do primário espirala e condensa próximo do equador a atmosfera, aonde deste espiralamento de gases vai formar novos astros, que estes gases já se encontram em dinâmica translacional e variação e densidade na sua forma e estrutura. 

O gás que formam um cinturão espiralado se processa e locomove para um só ponto próximo do equador, por dois motivos, magnetismo do astro e centrifuga de rotação, onde vai começar a dar inicio a uma esfera, que é o processo de esferificação que se tornará em astro. Ao se formar ele se distanciará dando condição a outros sucessivos que virão a se estruturar.

Assim, os caminhos são,

1-Formação da atmosfera pela radiação, e deslocamento desta atmosfera sobre o astro pela própria ação da radiação.

2-Espiralamento da atmosfera pela rotação do astro e deslocamento da atmosfera, que se desloca próximo ao equador.

3-Esferificação desta atmosfera espiralada com translação.

4-A esfera além da translação e afastamento que já possuía, passa também a se distanciar do primário que o formou. E o processo continua, enquanto o astro se afasta e translada, também passa a produzir a sua rotação.

Por isso que quantidade de translação, afastamento e rotação dependem de toda energia em processamento do astro, que vai produzir toda radiação do astro no espaço. E por isso que ao envelhecer toda dinâmica tende a diminuir, pois já gastou quase tudo que podia.


DINÂMICA LIVRE, PRÓPRIA E DECRESCENTE PELA ENERGIA.

Confirma-se que a dinâmica é própria do astro e proporcional a sua energia, e que os astros estão livres no espaço, e esta liberdade e radiação fazem com que eles se afastam de seus primários. Logo, se eles se afastam por radiação não podem ser atraídos.


CONCLUSÃO.

COSMOFÍSICA.

Considerações.

Provas de que o universo são processos de estruturação infinita.

O que prova que o universo se estrutura por um processo lento é através da esferificação dos astros e que a terra ser formada de núcleo e camadas, pois prova que os astros são formados de sobreposição de materiais pequenos que foram expelidos por outros. Pois se o universo fosse produzido num só momento por uma grande explosão a terra seria formada por um bloco inteiriço.
Com a esferificação e camadas se prova que o universo é bilhões de vezes mais velhas do que se pensa hoje. 

E se é infinitamente velho e considerando a velocidade e a aparência para o vermelho observada, com isto se conclui que não veríamos o sol e nenhuma estrela no espaço, pois o tempo que se encontra em velocidade elas estariam infinitamente distantes, e não seria capaz de observar nenhum astro no espaço.

Considerações sobre uma teoria da cosmologia e astronomia.

Uma teoria da cosmologia e astronomia deve se fundamentar no universo geral, da origem da matéria, das partículas, origem dos elementos químicos e sua estruturação, processamento, e evolução, fusão nuclear dos astros, radiação, temperatura, estruturação e estrutura dos astros, o universo como um sistema em evolução na sua constituição macro, geral e micro.

O que é o universo.
É espaço denso, matéria densificada, processos e estrutura, fluxos e evolução, sem inicio e fim.

A estrutura do espaço denso.
Como os gases que são leves, invisíveis e flutuam o espaço denso é milhões de vezes menos densificado. 

Hipótese falsa da grande explosão.
Tudo antes de explodir primeiro tem que ser formado de algum elemento, ou alguma estrutura de matéria ou espaço denso, logo é falsa a hipótese da grande explosão. 

Sobre o tempo cosmológico.

O tempo cosmológico é o tempo que representa a energia e processamento num sistema de astros.

Cosmofísica.

Universo de processos ínfimos.

O que componhe e determina o cosmo na sua estrutura são os seus processos físicos, produção de partículas e elementos químicos e sua evolução, nos núcleos onde as fusões estelares acontecem, ou seja, o universo micro determina o macro e o geral, um sistema de galáxias só vai se abrir conforma a intensidade de processos físicos que são produzidos no sistema. Ele terá luzes e formas e fluxos, componentes químicos, fusões conforme o processamento físico geral.

Da multiplicidade do universo.

O universo é múltiplo, ou seja, são vários em vários estágios de origem, processamento, estruturação, fluxo e desintegração.
Ele tem origem pela densidade do espaço que forma a matéria, depois a energia e durante o processo forma os elementos químicos e os astros.

Do fluxo do universo.

O universo se estrutura de fora para dentro [ por integração do espaço denso] depois de dentro para fora [ por desintegração da matéria ] pelos processos e fusões da matéria e nos núcleos dos astros.
Volta a se reintegrar formando astros menores e com menos energia, depois se desintegra em radiação, e se reintegra em astro, e o fluxo e processos continua até a matéria se tornar difusa e com pouca energia. 

Como exemplo se tem do espaço denso e a matéria, da matéria ao astro, a estrela que produz radiação, que vai produzir planetas, que vai produzir radiação e atmosfera, que vai produzir radiação, anéis e satélites, e o fluxo e processos estruturantes e desistruturantes continua infinitamente até a matéria difusa. 

Onde leva a matéria evoluir e produzir os elementos químicos. Assim o universo é infinito e sem forma determinada.
Assim, o universo se encontra em contração e alargamento interno, mas não em expansão e sim em afastamento ínfimo, se encontra em translação e rotação, estruturação, fluxos e evolução de seus componentes.
Enquanto uns começam a sua origem, outros se encontram em fluxos e processos, enquanto outros já se encontram na fase final que é em matéria difusa.

Cosmofísica nuclear.
Fusões nucleares.

As fusões nucleares das estrelas mantém por um bom tempo a temperatura dos astros, com isto faz com que o universo se processa lentamente, e possa manter o seu fluxo e evolução da matéria e elementos químicos e ajuda a transforma elementos leves em pesados, e vai produzir a energia e dinâmica dos astros, por isto que os secundários mais distantes possuem menos dinâmica e as órbitas são mais irregulares. Ou seja, satélites de planetas, planetas de estrelas.

Assim, o universo e seu fluxo e estruturação se deve a sua produção de energia, como também a evolução dos elementos e a dinâmica dos astros.

A produção de energia vai determinar também as camadas e esferificação dos astros.
Universo não expansionista e não estacionário.
Assim se confirma que o universo se encontra em afastamento ínfimo e não em expansão, e não se encontra estacionado pois possui rotação, translação, fluxos, evolução e outros fenômenos.

Evolutivo.
Encontra-se em evolução na sua estrutura micro e macro, dos elementos aos astros. E se eterniza como matéria com densidade difusa
.
Não é curvo e nem reto.
Observação.
A teoria da energeticidade e radiação que trata da astronomia será apresentada em outro texto. Com mais de cento e dez fórmulas provando as duas teorias, pois uso diâmetro, radiação, temperatura, rotação e velocidade equatorial. E não uso distancia massa ou gravitação.

teoria del cosmofisica - teoria di graceliana di autocosmo.

teoria del cosmofisica - teoria di graceliana di autocosmo.

Autore - Ancelmo Graceli Luiz.

Ancelmoluizgraceli@hotmail.com Telefono. 27- 32167566 via Itabira, nº 5, insieme di Itapemirim, Rosa del Penha, di Cariacica, di -269, del brasiliano di E.S. cep.29143, del professore, della graduazione in filosofia e del ricercatore teorico. ASTRONOMIA pubblicata dei libri e MONDO delle INTERAZIONI FISICHE.

Collaboratore - Marcio Piter Rangel.

Lavoro presentato lo spirito Brasile San della sezione. E la società brasiliana di fisica. L'introduzione ha pubblicato nel WEB per il fattore del Brasile del vestibolo - Manica il profilo. Nel giorno 30.01.2008. Se altre teorie con gli assestamenti e voi formulano avesse avuto accettazione, perchè queste non ha? Di conseguenza, confermarlo esso possesss tutti gli assestamenti e tutte le forme dei calcoli e di quello la realtà ed il commento fino a oggi raggiunto con. Con più di cento dieci formule, le forme più varie di se calcolando un stesso fenomeno, con più di duecento assestamenti in tutte le zone di fisica moderna. Inoltre, con le nuove previsioni all'interno di cosmology e di astronomia.

Ha presentato lo scomparto di formazione dello SBFISICA. Soced. Reggiseni. de Física. Giornale brasiliano di fisica - SBFISICA

COSMOFÍSICA ed ASTROFISICA.

PRODUTTORE DI SE.

L'universo è un sistema vivo e dinamico di produzione e di estruturação, dove produce la relativa energia adeguata per il relativi funzionamento, estruturação e dynamics, che sono stato che l'energia ingrandisce al rapporto che va realizzare il relativo funzionamento ed è un sistema del flusso, in cui la stessa interazione che produce il prodotto chimico degli elementi, produce i astros per fondere. La E egualmente produce i campi, il Maser, le alte temperature, il dynamics, le orbite, le strutture dei astros e la rimozione nell'universo. O uno, è un produttore di se, della relativa struttura e del relativo funzionamento. Quindi, è una produzione costante di integrazione e della disintegrazione.

ETÀ DELL'UNIVERSO.

Con questo, può essere dedotto che l'universo non possiede un'origine determinata nel tempo, molto di meno in un certo posto dello spazio e non possieda un'origine determinata nei estruturação della sostanza e dei astros che la compongono. Tuttavia, ha età infinita, quindi lo spazio denso era sempre là e producendo l'energia, sostanza, fino ad arrivare i astros.

FORMI DI ESSERE DELL'UNIVERSO

Della contrazione per lo spazio denso. Di rimozione per il Maser. Di aglutinação per il materiale del Maser.

L'universo passa per i flussi mentre produce gli elementi chimici nelle interazioni di fusione nucleare nel centro dei astros, dove produce l'energia quando elaborano le interazioni fisiche e produrre la relativa struttura dei astros, delle orbite e del dynamics.

Sul MOVIMENTO

Se il movimento relativo questo con il Maser, le alte temperature e le interazioni fisiche nell'interno dei astros che sono sciolti nello spazio denso per sviluppare il relativo dynamics. Presto il movimento sarà naturale e dinamico e varia come le situazioni di produzione di energia dove se trova il astro. La E se i dynamics obbediscono un flusso, allora il movimento è dinamica, disforme e variabile.

Sullo SPAZIO DENSO.

Lo spazio denso produce la sostanza, mentre la sostanza prodotta già produce i astros e gli elementi chimici vanno essere pezzo fuso nelle stelle secondarie e. Sulla SOSTANZA

La sostanza è filamenti dello spazio denso contratto, quello va structuralize l'universo chimico in sostanza, i astros, gli elementi, il Maser, temperatura elevata e nell'universo automatico dinamico.

Sul COSMO

L'universo è dinamico automatico e mentre produce l'energia le interazioni fisiche vanno essere elaborate ed il Maser che si comporta e che sparge la sostanza, i astros sono nel dynamics per l'energia ed il Maser adeguati, gli elementi chimici si evolvono e se migliorano, migliorando la sostanza e structuralizing l'universo, il cosmo se contratti per lo spazio denso e se si allarga per l'azione del Maser, quindi l'universo è vivi ed automobile dinamici.

Sul TEMPO

Il tempo non esiste, che cosa esiste è il temporizzatore della memoria contrassegnata per il funzionamento del cervello come forma di coscienza di quella accade fra gli intervalli degli eventi. Possiamo considerare il tempo secondario come qualcosa, quella che esiste in funzione del funzionamento della coscienza prodotta per il funzionamento del cervello. La velocità del temporizzatore dell'uomo è la velocità di funzionamento del cervello umano.

Sulla RIMOZIONE e sull'ALLARGAMENTO del COSMO.

Quindi, il dynamics dell'universo sta continuando dal Maser costante, quindi che il relativo allargamento se ritrovamenti nella progressione di diminuzione. La E i astros era comparso del aglutinação dello spazio denso, mentre il Maser e le alte temperature disintegrano i astros. Presto in avvenire e questi parte e periodo di addestramento dell'universo in cui dentro le troviamo i astros saranno più freddi e di meno.

Quindi, i astros sono sciolti e liberi nello spazio e non incarcerati per i campi di presunzioni, in cui la rotazione delle galassie è secondaria chi la traduzione. Mentre la sostanza compare dello spazio denso, in cui i astros sono prodotti, altri sono formati in altri punti dello spazio, mentre il dynamics è comune a tutti i astros e non soltanto nelle galassie. Prova di questo che abbiamo nel sistema solare. Con questo vediamo che l'allargamento è una produzione costante per il Maser e non per ha supposto un'esplosione grande. Di conseguenza lo stesso fenomeno che produce la traduzione, la rotazione, orbite, egualmente produce l'allargamento, quindi che la rimozione è fare diminuire graduale, si sviluppa gradualmente, comunque ha una percentuale di diminuzione nella progressione.

L'universo tenderà se sprecare e se diluire in pochi astros e con poca energia, mentre in altre parti inizierà altri universi con il materiale dello spazio denso. I possesss dell'universo tre forme di base di produzione 1 - strutturale, quello produce la sostanza e della forma, 2-other di azione che dà a vita la sostanza, che è le interazioni, l'energia ed il Maser fisici nell'interno dei astros. 3 - di produzione di nuovi astros e degli elementi chimici.

Sulla FORMAZIONE e sull'ETÀ del ASTROS Del SISTEMA SOLARE

È confermato che gli asteroidi non sono perfettamente in tondo, quindi nella relativa maggioranza è poco appiattita e prolongated. Uno conferma che sono risultati dei ridurre in pani espulsi di materiale di un certo pianeta o del sole, essendo inteiriça delle masse e sono prodotti di un momento solo, mentre i pianeti ed i satelliti sono astros rotondi, dove se conferma che ha avuto una formazione lenta di sovrapposizione dei componenti delle relative scuole elementari espulse per i Maser. Ciò se conferma che quei sferici avevano occorr più tempo formarsi e conferma la teoria visualizzata qui.

Terza parte.

COSMOFÍSICA DELLE INTERAZIONI E DELL'ENERGIA.

L'universo non potrebbe comparire di una sfera di energia o della sostanza da scoppiare, quindi comparirebbe alla domanda, di dove questa sfera è comparso della sostanza e del quanto tempo era là prima dell'esplosione e che cosa lo ha formato.

Vediamo che la produzione della sostanza e dell'energia è un processo costante di fusione nucleare, di sviluppo degli elementi chimici e di estruturação di nuovi astros e galassie nello spazio ed in altri fenomeni costanti che formano il nostro universo lento. Presto, l'universo è senza cominciare ed estremità, nel tempo, lo spazio, il materialization e produzione.

La fase dell'astrofisica e del cosmofísica, quello è della produzione di energia, Maser e della disintegrazione per il Maser e dell'integrazione di materiale con poca temperatura nello spazio e dove i astros periferici erano comparso.

Se l'universo fosse comparso di un'esplosione che grande la sostanza già esisterebbe prima dell'universo e di questa non e possibile di essere, che cosa vediamo nella verità è che la sostanza fa parte di un processo lento, poichè la formazione degli elementi chimici è lenta, poichè è lento e costante la formazione dei astros e dell'universo adeguato.

Una delle prove valide della formazione lenta dell'universo e del relativo inizio di è per la parte interna se chiudendosi su se fino a essere attuata e quella i astros è costituita degli strati con i greaters e le densità dei minori, di alcuni strati un d'altro canto e di un raffreddamento graduale fino all'interno dei astros. Presto, l'universo non comparirebbe di un punto, della parte interna per è. STRUTTURE NEGLI STRATI.

Quindi, l'universo per essere un processo lento e di è per interno ed è fatto degli strati, delle prove nella rotazione e del dynamics degli anelli del Saturno, come anche nella struttura dell'atomo e nella struttura della terra del pianeta, o in stesse nell'atmosfera della terra e del Jupiter. La sostanza e l'universo sono fatti di sono per la parte interna per lo spazio denso ed i astros egualmente per il materiale del Maser.

Un'esplosione grande non dare l'inizio all'universo, quindi era in se il caso già esisterebbe prima dell'esplosione e che cosa produrrebbe la struttura e l'energia per fare scoppiare.

Gli elementi chimici anche pesati sono prodotti di un processo lento di formazione.

FASI - ALCUNI UNIVERSI.

Ha alcuni universi. Della bolla di spazio denso, di energia di spazio denso e della sostanza libera nello spazio e del estruturalizadadella sostanza in astros e nelle temperature massime e del Maser.

I campi, gli atomi, i astros ed il cosmo adeguato nell'insieme sono determinati dall'energia e dall'intensità delle interazioni fisiche dove vengono a contatto di come egualmente le orbite, dinamiche dei astros e degli atomi. Esattamente lo sviluppo degli elementi chimici e lo sviluppo della sostanza ed i astros ed il cosmo nell'insieme è risultato dell'intensità delle interazioni e della produzione fisiche di energia.

Le stelle lucidano grazie alla fusione nucleare spontanea nei relativi nuclei, dove gli elementi chiari sono trasformati negli elementi chimici pesati.

Vediamo nell'universo che mentre le stelle diminuono altri sbocciano tutto questo se dà in un processo lento della creazione e dell'indirizzamento casuale nei nuovi elementi ed in nuovi astros.

Con questo cosmo se diventa l'infinito nella relativa origine e nella produzione, vediamo che ha alcuni tipi di più vecchi universi un, altri nuovi ed altri differenti, che è creata da un dio calmo, costruente l'universo, gli esseri e le anime per il buon.

RICHIESTA dell'ESPANSIONE.

Dà un'apparenza per che cosa un'espansione immensa è la traduzione e la rotazione delle galassie, nella verità la traduzione è immenso più grande che la rimozione fra i astros.

Se i astros fossero se allontanando straight-line per la proposta di età fino dall'universo, tutti i astros sarebbero così distanti qui che sia impossible vedere né il sole, più il colore rosso di effetto di doppler. Si conclude che l'universo non è nell'espansione, ma sì nella traduzione e nella rotazione e nei miliardi di rimozione di minimo di pochi periodi di quella tutta la traduzione.

Tutte le galassie sono se aprendosi come girasole, o uno, se muovendosi via dal relativo centro e nella traduzione e nella rotazione quindi quelle abbiamo una nozione di un'espansione immensa, tuttavia che è un'apparenza dell'effetto della traduzione e della rotazione delle galassie, quindi dell'opposto sarebbero quella infinitamente distante degli altre, essendo impossibli daregistrare la relativa stessa posizione o tutta la forma di luce, anche se del sole. Un periodo che origine dei possesss e produzione infinite di costante.

Di conseguenza abbiamo nozione di quello che tutti sono se il distanciando del sole, quindi con effetto Doppler di traduzione e di rotazione per colore rosso è registrato con intensità grande e quello dà ad un'apparenza di quello il sole è nel centro dell'universo, quindi il movimento è translacional e di rotazione di quello di rimozione.

Se l'espansione fosse prodotto di un'esplosione grande le galassie infinitamente distanti e già sarebbero parcheggiate nello spazio. Quindi, per essere possibile rilevare l'apparenza delle galassie e del relativo dynamics, prove che l'universo non ha provenuto da un'esplosione grande e né l'espansione presunta è prodotto di un'esplosione grande, allora l'universo è infinitamente vecchia e la relativa espansione presunta è origine e prodotto del relativo Maser ed è frenata dallo spazio denso. La E ha andato di quella che rileviamo poichè l'espansione è l'apparenza della traduzione e della rotazione delle galassie.

Con il momento per la formazione della sostanza, con il periodo dello sviluppo degli elementi chimici, formazione dei astros, esferficação della struttura esterna dei astros, se veda che l'universo è infinitamente vecchio, allora se l'espansione presunta è collegata con supponesse che un'esplosione grande non dare per rilevare l'esistenza delle galassie nello spazio, quindi sarebbero infinitamente distanti.

Come anche, di dove la sostanza sembrerebbe produrre un'esplosione grande.

L'origine della sostanza per lo spazio denso, dello sviluppo degli elementi chimici, della formazione e di esferificação quasi che perfezionano dei astros, degli strati di atmosfera e della struttura dei astros e dell'esistenza delle galassie esso conferma la teoriadell'origine dell'universo per lo spazio denso, della produzione dell'universo per le interazioni fisiche e di fusione. E il dynamics per l'energia, l'impulso per il Maser e le interazioni fisiche, come anche il freno cosmico del dynamics dei astros per lo spazio denso. Quindi, l'universo non è stato prodotto ad un momento solo in un'esplosione grande ed egualmente non viene a contatto di nell'espansione, ma sì in una rimozione minima ed insignificante, miliardi di pochi periodi di quella alcuna velocità della traduzione ed è facile da visualizzare.

Se il pianeta Nettuno ha altretanti chilometri di rimozione del sole e dell'esso si è sviluppato oggi fino a quanti rollbacks intorno al sole e con quella velocità. Questo calcolo serve per tutto il astro.

CALCOLO DI RIMOZIONE DELL'UNIVERSO.

Rimozione nel chilometro dello school/number elementare dei rollbacks sulla scuola elementare * arco di distancia nel chilometro della traduzione = il valore di metodo di un astro di rimozione dall'inizio della relativa formazione.

Esempio.

Il raggio del sole fino a che la terra non abbia 150.000.000 del chilometro, essendo che la faccio circolare nel rollback esso ha 3.5 volte approssimativamente questo raggio e che la terra già ha dato a 1.000.000 dei rollbacks più di, o uno, calcolare la rimozione della terra, ha quello Satellite di Amaltéia se prove che esso folloies con la relativa traduzione la rotazione del Jupiter, come figlio vicino alla madre.

Ciò dentro viene soltanto confermarla quello visualizzato fino a qui, quello i satelliti se provenga dai filamenti dei gas dell'atmosfera dei pianeti e che la traduzione se inizia insieme all'origine del satellite adeguato, o stesse può dirsi che prima di esattamente di essere un raduno di astro già nel dynamics.

La rotazione del espirala della scuola elementare e condensa vicino all'Equatore l'atmosfera, in cui di questo espiralamento dei gas va formare i nuovi astros, di che questi gas già vengono a contatto nel dynamics di translacional e variazione e densità nella relativa forma e strutturano.

Il gas che forma una spirale cinturão se processi e movimenti per un punto solo vicino all'Equatore, per due motivi, magnetismo del astro ed il centrifuga di rotazione, dove va cominciare dare l'inizio ad una sfera, che è il processo di esferificação che diventerà in astro. Se formandolo sarà distanciará che dà a circostanza altri successivi che verranno se structuralize.

Quindi, i percorsi sono,

1-Formação dell'atmosfera per il Maser e lo spostamento di questo atmosfera sul astro per l'azione adeguata del Maser.

2-Espiralamento dell'atmosfera per la rotazione del astro e dello spostamento dell'atmosfera, quello se si sloga vicino all'Equatore.

3-Esferificação di questo atmosfera a spirale con la traduzione.

sfera 4-A oltre la traduzione e la rimozione che già il possuía, egualmente passa se a distanciar della scuola elementare che lo ha formato. E che il processo continua, mentre astro se gli allontan ed il translada, egualmente comincia produrre la relativa rotazione.

Di conseguenza quella quantità di traduzione, la rimozione e la rotazione dipendono da tutta l'energia nell'elaborare del astro, che va produrre tutto il Maser del astro nello spazio. La E quindi che quando invecchia tutto il dynamics tende a diminuire, quindi già speso quasi tutto che potrebbe.

DYNAMICS LIBERO, ADEGUATO e DIMINUENDO per l'ENERGIA.

Uno conferma che il dynamics è adeguato del astro e proporzionale la relativa energia e che i astros sono liberi nello spazio e questi libertà e Maser fa con quello che allontanano essi stessi dalle relative scuole elementari. Presto, se allontanano essi stessi per il Maser non può essere attratto.

CONCLUSIONE.

COSMOFÍSICA.

Considerações.

Le prove di quella l'universo è processi di estruturação infinito.

Che prova che l'universo se la struttura per un processo lento è con il esferificação dei astros e che la terra da formare del nucleo e degli strati, quindi prova che i astros sono formati di sovrapposizione dei materiali piccoli che erano stati espulsi da altri. Di conseguenza se l'universo fosse prodotto ad un momento per un'esplosione grande la terra da solo sarebbe costituita da un ridurre in pani di inteiriço. Con il esferificação e gli strati se prova che l'universo è miliardi di più vecchi periodi di quello che se pensa oggi.

E se è infinitamente vecchio e considerante la velocità e l'apparenza per il colore rosso osservato, con questa se conclude che non vedremmo il sole e stella nello spazio, quindi il tempo che se i ritrovamenti nella velocità fossero infinitamente distanti e non fossero capaci non ne osservare astro nello spazio.

Considerações su una teoria di cosmology e di astronomia.

Una teoria di cosmology ed astronomia deve essere basata sull'universo generale, dell'origine della sostanza, delle particelle, origine degli elementi chimici ed il relativo estruturação, elaborare e sviluppo, fusione nucleare dei astros, Maser, temperatura, estruturação e struttura dei astros, l'universo come sistema nello sviluppo nella relativa macro di costituzione, generalità e micron.

Che cosa è l'universo. È spazio, sostanza di densificada, processi e struttura, flussi e sviluppo densi, senza cominciare ed estremità.

La struttura dello spazio denso. Come i gas che sono luce, invisibile e faccia galleggiare lo spazio denso è milioni di periodi meno densificado.

Ipotesi falsa dell'esplosione grande. Tutto prima di scoppiare in primo luogo ha quello da formare di un certo elemento, o una certa struttura della sostanza o dello spazio denso, allora l'ipotesi dell'esplosione grande è falsa.

Sul tempo cosmologico.

Il tempo cosmologico è il tempo che rappresenta l'energia ed elaborare in un sistema dei astros.

Cosmofísica.

Universo dei processi più lowermost.

Che componhe e determina il cosmo in relativa struttura è i relativi processi fisici,

la produzione delle particelle ed elementi chimici ed il relativo sviluppo, nei nuclei dove i estelares di fusione accade, o una, il micron dell'universo determina la macro e la generalità, un sistema delle galassie da solo va confidare è conforme l'intensità dei processi fisici che sono prodotti nel sistema. Avrà luci e forme e flussi chimici, componenti, fondenti nell'accordo elaborare fisico generale.

Della molteplicità dell'universo.

L'universo è multiplo, o uno, è vari in determinati periodi di addestramento dell'origine, elaborare, di estruturação, del flusso e della disintegrazione. Ha origine per la densità dello spazio che forma la sostanza, successivamente l'energia e durante il processo forma gli elementi chimici ed i astros.

Del flusso dell'universo.

L'universo se la struttura di è dopo per la parte interna [ per integrazione dello spazio denso ] all'interno per è [ per disintegrazione della sostanza ] per i processi e la fusione della sostanza e nei nuclei dei astros. Ritorna se a reintegrate che forma i minori di astros e con poca energia, più successivamente se si disintegra in Maser e se esso reintegrates in astro ed il flusso ed i processi che continua fino alla sostanza se a diventare diffuso e con poca energia.

Come esempio se ha dello spazio denso e della sostanza, della sostanza al astro, la stella che produce il Maser, che va produrre i pianeti, che va produrre il Maser e l'atmosfera, che va produrre il Maser, gli anelli ed i satelliti ed il flusso ed i estruturantes ed i processi dei desistruturantes continuano infinitamente fino alla sostanza diffusa.

Dove prende la sostanza per evolvere e produrre gli elementi chimici. Così l'universo è infinito e senza forma definitiva. Quindi, l'universo se ritrovamenti nella contrazione ed allargamento interno, ma non nell'espansione e sì nella rimozione più lowermost, se trova nella traduzione e rotazione, estruturação, flussi e sviluppo dei relativi componenti. Mentre alcuni iniziano la relativa origine, altri vengono a contatto di in flussi e nei processi, mentre altri già vengono a contatto di nella fase finale che è in sostanza diffusa.

Cosmofísica nucleare. Fusione nucleare.

La fusione nucleare delle stelle mantiene per un buon tempo la temperatura dei astros, con questa fa con quello l'universo se processi lentamente e può considerare il relativi flusso e sviluppo della sostanza e gli elementi chimici e gli aiuti che la trasforma elementi chiari in pesante e va produrre l'energia ed il dynamics dei astros, dato che quei i più distanti secondari possiedono dinamico poco e le orbite sono più irregolari. O il uno o il altro, satelliti dei pianeti, pianeti delle stelle.

Quindi, l'universo ed il relativi flusso ed estruturação se mosto la relativa produzione di energia, come anche lo sviluppo degli elementi ed il dynamics dei astros.

La produzione di energia va anche determinare gli strati ed il esferificação dei astros. Non expansionista ed universo non stazionario. Così uno conferma che l'universo se i ritrovamenti nella rimozione più lowermost e non nell'espansione ed esso non viene a contatto quindi dei possesss parcheggiati rotazione, traduzione, flussi, sviluppo ed altri fenomeni.

Evolutivo. Uno viene a contatto di nello sviluppo nel relativi micron e macro della struttura, degli elementi ai astros. E se eternalizes come sostanza con densità diffusa. Non è incurvato e né diritto. Commento. La teoria del energeticidade e del Maser che si occupa di astronomia sarà presentata in altro testo. Con più di cento dieci formule che dimostrano le due teorie, quindi il diametro di uso, il Maser, la temperatura, la rotazione e la velocità equatoriale. Massa o gravitazione di uso di Distancia E non

 

teoría del cosmofisica - teoría del graceliana de autocosmo.

teoría del cosmofisica - teoría del graceliana de autocosmo.

COSMOFÍSICA y ASTROFÍSICA.
TEORÍA del UNIVERSO FLUXONÁRIO ESTRUTURANTE del ESPACIO DENSO, y
TEORÍA del ENERGETICIDADE y del MASER.

Autor - Ancelmo Graceli Luiz.


Ancelmoluizgraceli@hotmail.com
Teléfono. 27- 32167566 calle Itabira, nº 5, conjunto de Itapemirim,
Rose del Penha, de Cariacica, de -269, del brasilen@o de E.S.
cep.29143, del profesor, de la graduación en filosofía y del
investigador teórico. ASTRONOMÍA publicada de los libros, y MUNDO de
las INTERACCIONES FÍSICAS.

Colaborador - Marcio Piter Rangel.

Actual trabajo el alcohol el Brasil Santo de la secta. E la sociedad
brasileña de la física. La introducción publicó en el WEB
para el factor del Brasil del vestíbulo - acanale el perfil. En el
día 30.01.2008. ¿Si otras teorías con lechos y usted formulan había
tenido aceptación, por qué éstas no tiene? Por lo tanto, los
possesss todos los lechos y todas las formas de cálculos, y de ése
la realidad y el comentario hasta que está alcanzado hoy se confirma
con. Con más de cientos y diez fórmulas, las formas más variadas de
si calcula un mismo fenómeno, con más de doscientos lechos en todas
las áreas de la física moderna. También, con nuevos pronósticos
dentro del cosmology y de la astronomía.

Presentó el compartimiento de la educación del SBFISICA. Soced.
Sujetadores. de Física. Diario brasileño de la física - SBFISICA

PRODUCTOR DE SÍ MISMO.

El universo es un sistema vivo y dinámico de la producción y de
estruturação, donde produce su energía apropiada para su
funcionamiento, estruturação y dinámica, siendo que la energía
magnifica a la relación de transformación que va a llevar con su
funcionamiento, y es un sistema de la secuencia, donde la misma
interacción que produce el producto químico de los elementos,
produce los astros para fundirse. E también produce campos, el MASER,
altas temperaturas, dinámica, órbitas, las estructuras de los
astros, y el retiro en el universo. O cualquiera, es un productor de
sí mismo, de su estructura y de su funcionamiento. Así, es una
producción constante de la integración y de la desintegración. 


EDAD DEL UNIVERSO.

Con esto, puede ser deducido que el universo no posee un origen
determinado en el tiempo, mucho menos en un cierto lugar del espacio,
y no posee un origen determinado en los estruturação de la sustancia
y de los astros que la componen. Sin embargo, tiene edad infinita, por
lo tanto el espacio denso estaba siempre allí y produciendo la
energía, sustancia, hasta llegar los astros.


FORME DE ESTAR DEL UNIVERSO

De la contracción para el espacio denso. Del retiro para el
MASER. De aglutinação para el material del MASER.

El universo pasa para las secuencias mientras que produce los
elementos químicos en las interacciones de la fusión nuclear en el
centro de los astros, donde produce energía al procesar las
interacciones físicas y producir su estructura de astros, de órbitas
y de la dinámica.

EN el MOVIMIENTO

Si el movimiento relacionado esto con el MASER, las altas
temperaturas, y las interacciones físicas en el interior de los
astros que están desatados en el espacio denso para desarrollar su
dinámica. Pronto está natural y dinámico, y varía el movimiento
como las situaciones de la producción energética donde si encuentra
astro. E si las dinámicas obedecen una secuencia, entonces el
movimiento es dinámica, disforme y variable.



EN El ESPACIO DENSO.

El espacio denso produce la sustancia, mientras que la sustancia
producida produce ya los astros y los elementos químicos van a ser
bastidor en las estrellas secundarias y.

EN la SUSTANCIA

La sustancia es filamentos del espacio denso contraído, de
que va structuralize el universo químico en la sustancia, astros,
elementos, MASER, temperatura alta, y en el universo auto dinámico.


EN el COSMO

El universo es dinámico auto y mientras que produce la
energía las interacciones físicas van a ser procesada, y el MASER
que actúa y que separa la sustancia, los astros están en la
dinámica para la energía y el MASER apropiados, los elementos
químicos se desarrollan y si mejoran, mejorando la sustancia y
structuralizing el universo, el cosmo si los contratos para el espacio
denso, y si ensancha para la acción del MASER, después el universo
son vivos y automóvil dinámicos.



EN el TIEMPO

El tiempo no existe, qué existe es el temporizador de la
memoria marcada para el funcionamiento del cerebro como forma de la
conciencia de eso sucede entre los intervalos de acontecimientos.
Podemos considerar el tiempo secundario como algo, de que que existe
en la función del funcionamiento de la conciencia producida para el
funcionamiento del cerebro. La velocidad del temporizador del hombre
es la velocidad del funcionamiento del cerebro humano.


AL el RETIRO y ENSANCHAR del COSMO.

Así, la dinámica del universo está procediendo del MASER constante,
por lo tanto que el su ensanchar si los hallazgos en la progresión
que disminuye. E los astros había aparecido del aglutinação del
espacio denso, mientras que el MASER y las altas temperaturas
desintegran los astros. Pronto en el futuro y esta parte y período
del entrenamiento del universo donde adentro los encontramos los
astros serán más fríos y menos.

Así, los astros están desatados y libres en el espacio, y no
encarcelados para los campos de las presunciones, donde está de menor
importancia la rotación de las galaxias quién la traducción.
Mientras que la sustancia aparece del espacio denso, donde se producen
los astros, otros se forman en otras puntas del espacio, mientras que
la dinámica es común a todos los astros y no solamente en las
galaxias. Prueba de esto que tenemos en la Sistema Solar. Con esto
vemos que el ensanchar es una producción constante para el MASER, y
no para supuso una gran explosión. Por lo tanto el mismo fenómeno
que produce la traducción, rotación, órbitas, también produce
ensanchar, por lo tanto que el retiro es disminuir gradual, crece
gradualmente, no obstante tiene un porcentaje de la disminución de la
progresión.


El universo tenderá si perder y si diluir en pocos astros, y con poca
energía, mientras que en otras piezas iniciará otros universos con
el material del espacio denso. Los possesss del universo tres formas
básicas de la producción 1 - estructural, de que produce la
sustancia y de la forma, 2-other de la acción que da a la vida la
sustancia, que es las interacciones, la energía y el MASER físicos
en el interior de los astros. 3 - de producción de astros nuevos y de
elementos químicos.


EN la FORMACIÓN y la EDAD del ASTROS De la SISTEMA SOLAR

Se confirma que los asteroides no están perfectamente
alrededor, por lo tanto en su mayoría está haber aplanado poco y
prolongated. Uno confirma que están resultados de tablillas expelidas
del material de un poco de planeta o del sol, siendo inteiriça de las
masas y producidos de un momento solo, mientras que los planetas y los
satélites son astros redondos, donde si confirma que tenía una
formación lenta de solapar de los componentes de sus escuelas
primarias expelidas para los MASER. Esto si confirma que los
esféricos habían tomado más tiempo para formarse, y confirma la
teoría visualizada aquí.

Tercera parte.

COSMOFÍSICA DE INTERACCIONES Y DE LA ENERGÍA.

El universo no podría aparecer de una bola de la energía o de la
sustancia a soplar para arriba, por lo tanto aparecería a la
pregunta, de donde esta bola apareció de sustancia, y de cuánto hora
era allí antes de la explosión, y qué lo formó.

Vemos que la producción de la sustancia y de la energía es un
proceso constante de la fusión nuclear, de la evolución de elementos
químicos y de estruturação de astros y de las galaxias nuevos en el
espacio y otros fenómenos constantes que forman nuestro universo
lento. Pronto, el universo está sin comenzar y extremo, en el tiempo,
el espacio, el materialization y producción.

La fase de la astrofísica y del cosmofísica, eso está de la
producción de la energía, MASER y de la desintegración para el
MASER y de la integración del material con poca temperatura en el
espacio, y donde habían aparecido los astros periféricos.

Si el universo hubiera aparecido de una gran explosión que la
sustancia existiría ya antes del universo, y de ésta no y posible de
ser, qué vemos en la verdad es que la sustancia es parte de un
proceso lento, pues la formación de los elementos químicos es lenta,
pues es lento y constante la formación de los astros y del universo
apropiado.

Una de las pruebas poderosas de la formación lenta del universo y de
su principio de es para el interior si se cierra en sí mismo hasta
materialización, y eso los astros se constituye de capas con greaters
y densidades de los menores de edad, de algunas capas unas en las
otras, y de refrescarse gradual hasta el interior de los astros.
Pronto, el universo no aparecería de una punta, del interior para es.
ESTRUCTURAS EN CAPAS.

Así, el universo para ser un proceso lento, y de está para interior
y se hace de capas, de evidencias en la rotación y de la dinámica de
los anillos de Saturno, como también en la estructura del átomo, y
en la estructura de la pista del planeta, o igual en la atmósfera de
la pista y del Júpiter. La sustancia y el universo se hacen de están
para el interior para el espacio denso, y los astros también para el
material del MASER.

Una gran explosión no daría comenzar al universo, por lo tanto era
sí mismo el caso existiría ya antes de la explosión, y encima qué
él produciría la estructura y la energía para soplar.

Los elementos químicos también pesados son productos de un proceso
lento de la formación.

FASES - ALGUNOS UNIVERSOS.

Tiene algunos universos. De la burbuja del espacio denso, de la
energía del espacio denso, y de la sustancia libre en el espacio, y
del estruturalizada de la sustancia en astros y las temperaturas del
MASER y altas.

Los campos, los átomos, los astros y el cosmo apropiado en su
totalidad son determinados por la energía y la intensidad de las
interacciones físicas donde satisfacen como también las órbitas,
dinámicas de los astros y de los átomos. Exactamente la evolución
de los elementos químicos y la evolución de la sustancia y los
astros y el cosmo en su totalidad se resulta de la intensidad de las
interacciones y de la producción físicas de la energía.

Las estrellas brillan gracias a la fusión nuclear espontánea en sus
memorias, donde los elementos ligeros se transforman en los elementos
químicos pesados.

Vemos en el universo que mientras que las estrellas disminuyen
florecen otros todo esto si da en un proceso lento de la creación y
del hashing en nuevos elementos y astros nuevos.

Con este cosmo si se convierte el infinito en su origen y en la
producción, vemos que tiene algunos tipos de universos más viejos
unos, otros nuevos y otros diversos, que es creada por un dios
tranquilo, construyendo el cosmos, los seres y las almas para el
bueno.


SÚPLICA de la EXTENSIÓN.

Qué da un aspecto para tener una extensión inmensa es la traducción
y la rotación de las galaxias, en la verdad la traducción es inmenso
más grande que el retiro entre los astros.

Si los astros fueran si separaron straight-line para la oferta de la
edad hasta desde el universo, todos los astros serían tan distantes
aquí que sea imposible ver ni el sol, más es el rojo del efecto de
Doppler. Uno concluye que el universo no está en la extensión, pero
sí en la traducción y la rotación, y mil millones de un retiro del
mínimo de pocas épocas de esa cualquier traducción.

Todas las galaxias son si se abren como girasol, o cualquiera, si se
mueven lejos desde su centro, y en la traducción y la rotación por
lo tanto esa tenemos una noción de una extensión inmensa, sin
embargo que sea un aspecto del efecto de la traducción y de la
rotación de las galaxias, por lo tanto el contrario serían la
infinitamente distante del otra, siendo imposibles colocar su misma
posición o cualquier forma de luz, aunque del sol. Una época que
origen de los possesss y producción infinitos de la constante.

Por lo tanto tenemos noción de eso que todos son si el distanciando
del sol, por lo tanto con el efecto Doppler de la rotación y de la
traducción para el rojo se coloca con intensidad grande, y eso da a
aspecto de eso el sol está en el centro del universo, por lo tanto el
movimiento es translacional y rotatorio de el del retiro.

Si la extensión fuera producto de una gran explosión las galaxias
infinitamente distantes y serían parqueadas ya en el espacio. Así,
para ser posible detectar el aspecto de las galaxias y de su
dinámica, las evidencias que el universo no originó de una gran
explosión y ni la extensión supuesta es producto de una gran
explosión, entonces el universo es infinitamente viejo, y su
extensión supuesta es origen y producto de su MASER, y es frenada por
el espacio denso. E se ha ido de ésa que detectamos pues la
extensión es el aspecto de la traducción y de la rotación de las
galaxias.

Con la época para la formación de la sustancia, con la época de la
evolución de los elementos químicos, la formación de los astros,
esferficação de la estructura externa de los astros, si vea que el
universo es infinitamente viejo, entonces si la extensión supuesta se
relaciona con supusiera que una gran explosión no daría para
detectar la existencia de las galaxias en el espacio, por lo tanto
serían infinitamente distantes.

Como también, de donde la sustancia aparecería producir una gran
explosión.

El origen de la sustancia para el espacio denso, de la evolución de
los elementos químicos, de la formación y de esferificação casi
que perfeccionan de los astros, de las capas de la atmósfera y de la
estructura de los astros y de la existencia de las galaxias él
confirma la teoría del origen del universo para el espacio denso, de
la producción del universo para las interacciones físicas y de la
fusión. E la dinámica para la energía, el impulso para el MASER y
las interacciones físicas, como también el freno cósmico de la
dinámica de los astros para el espacio denso. Así, el universo no
fue producido en un momento solo en una gran explosión y también no
satisface en la extensión, sino sí en un retiro mínimo e
insignificante, mil millones de pocas épocas de esa ninguna velocidad
de la traducción y es fácil visualizar.

Si el planeta Neptuno tiene tantos kilómetros de retiro del sol y del
él se convirtió hoy hasta cuántas restauraciones no actualizadas
alrededor del sol y con esa velocidad. Este cálculo sirve para
cualquier astro.


CÁLCULO DEL RETIRO DEL UNIVERSO.

Retiro en el kilómetro del school/number elemental de restauraciones
no actualizadas en la escuela primaria * arco del distancia en el
kilómetro de la traducción = el valor del acercamiento de un astro
del retiro desde el principio de su formación.

Ejemplo.

El rayo del sol hasta que la pista tiene 150.000.000 de kilómetro,
siendo que la circulo en la restauración no actualizada él tiene 3.5
veces aproximadamente este rayo, y que la pista ya dio a 1.000.000 de
restauraciones no actualizadas más que, o cualquiera, de calcular el
retiro de la pista, tiene eso
Ou seja, o afastamento da Terra é menor do que 1metro por ano, enquanto o planeta desenvolve um percurso de translação de mais de 750.000.000 km por ano.

Não foi levado em conta aqui o tempo para a esferificação do planeta.

Com isto se conclui que o alargamento é insignificante em termos observacionais, porém este afastamento é fundamental. Pois enquanto um planeta se afasta, vai dando lugar a outro para ser produzido, é como uma produção organizada, e que ao se afastar do Sol ele vai processando a sua energia e esfriando, dando condições para que a matéria evolua e a vida possa brotar e ter um corpo vivo de matéria evoluída.

E que a aparência para o vermelho é resultado da translação e rotação, pois o afastamento é insignificante. Logo, o universo se encontra num mínimo afastamento imperceptível e não em expansão, pois se o que é observado fosse uma expansão os astros estariam tão distantes uns dos outros que da Terra não daria para ver o Sol, nem de telescópico. Assim, lhes proponho uma outra teoria, que é a do universo fluxonário estruturante.

Com isso se conclui que não existe uma expansão, mas sim um afastamento mínimo, quase insignificante. Porém fundamental para os processos de energia do astro e de todo sistema em que ele faz parte, e o que dá a aparência ao vermelho no efeito Doppler é o deslocamento da translação dos astros e a rotação das galáxias no espaço.

Isso serve para todos os sistemas de universo na forma de matéria e energia.


COM A TEORIA DA ENERGETICIDADE É POSSÍVEL PROVAR

1- a progressão das distancias entre os planetas, em que os mais distantes o afastamento sempre aumenta e é maior.

2- E, por que Júpiter é mais de 100 vezes maior que a Terra.

3- Por que Plutão é o primeiro planeta e está a mais de 75 vezes mais distantes do que a Terra em relação ao Sol.

4-Por que Saturno e Júpiter possuem mais de 10 satélites enquanto os dois mais próximos não possuem satélites. E por que o numero de satélite aumenta conforme o diâmetro do planeta.

5- Por que Júpiter possui uma rotação mais de 100 vezes maior que Mercúrio.

6- por que os maiores astros, como estrelas, planetas e satélites são esféricos.




PROVA.

Constatação de que os astros esfriam e mesmo em relação aos planetas que quanto mais distantes do Sol são mais velhos, com mais energia já processada e gasta e são mais frios.

Os planetas se formaram de dentro para fora, por camadas de energia e matéria expelidas do Sol, sendo aglutinadas para formar os planetas e satélites, isso se confirma na aparência da atmosfera de Saturno e Júpiter, as camadas que forma a terra e a esferificação.


TEMPO DE VIDA DO UNIVERSO.
Com o exposto acima o universo é infinito na sua origem e sem fim, no espaço e no processamento.


SOBRE A ORIGEM DOS SECUNDÁRIOS E SUA DINÂMICA.

FILAMENTOS DE ATMOSFERA E ESFERIFICAÇÃO.

Aparentemente, há alguma coisa colorida na atmosfera de Júpiter, e essa atmosfera se espirala de tal forma que as substancias coloridas se concentram amplamente em certas latitudes e se espalham para formar os cinturões. Por isso ocorre em certas latitudes e em outras, não se pode dizer - ainda nos é difícil explicar a circulação da atmosfera terrestre, e no momento não temos esperança dos intricados detalhes da atmosfera de Júpiter.
Se fosse apenas uma questão de rotação, poderíamos esperar que os cinturões de Júpiter fossem perfeitamente retos e uniformes, eles não o são. Há sempre pequenas saliências, reentrâncias, e manchas aparecendo de um momento para outro, expandindo-se, contraindo-se, escurecendo, clareando. Talvez seja resultado de tempestades jupterianas, suficientemente violentas para alterar a circulação normal da atmosfera, que produz os cinturões, seguindo cursos ditados não somente pela rotação do planeta, mas também por irregularidade da superfície sólida situada abaixo, ou radiação e atividades tectônicas.
Nos anéis de Saturno também há estas irregularidades e uma rotação mínima, e no satélite Amaltéia se constata que ele acompanha com sua translação a rotação de Júpiter, como um filho próximo da mãe.

Isso só nos vem confirmar o exposto até aqui, que os satélites se originam de filamentos de gases da atmosfera dos planetas, e que a translação se origina juntamente com a origem do próprio satélite, ou mesmo pode-se dizer que eles antes mesmo de ser um astro já se encontram em dinâmica.

A rotação do primário espirala e condensa próximo do equador a atmosfera, aonde deste espiralamento de gases vai formar novos astros, que estes gases já se encontram em dinâmica translacional e variação e densidade na sua forma e estrutura. 

O gás que formam um cinturão espiralado se processa e locomove para um só ponto próximo do equador, por dois motivos, magnetismo do astro e centrifuga de rotação, onde vai começar a dar inicio a uma esfera, que é o processo de esferificação que se tornará em astro. Ao se formar ele se distanciará dando condição a outros sucessivos que virão a se estruturar.

Assim, os caminhos são,

1-Formação da atmosfera pela radiação, e deslocamento desta atmosfera sobre o astro pela própria ação da radiação.

2-Espiralamento da atmosfera pela rotação do astro e deslocamento da atmosfera, que se desloca próximo ao equador.

3-Esferificação desta atmosfera espiralada com translação.

4-A esfera além da translação e afastamento que já possuía, passa também a se distanciar do primário que o formou. E o processo continua, enquanto o astro se afasta e translada, também passa a produzir a sua rotação.

Por isso que quantidade de translação, afastamento e rotação dependem de toda energia em processamento do astro, que vai produzir toda radiação do astro no espaço. E por isso que ao envelhecer toda dinâmica tende a diminuir, pois já gastou quase tudo que podia.


DINÂMICA LIVRE, PRÓPRIA E DECRESCENTE PELA ENERGIA.

Confirma-se que a dinâmica é própria do astro e proporcional a sua energia, e que os astros estão livres no espaço, e esta liberdade e radiação fazem com que eles se afastam de seus primários. Logo, se eles se afastam por radiação não podem ser atraídos.


CONCLUSÃO.

COSMOFÍSICA.

Considerações.

Provas de que o universo são processos de estruturação infinita.

O que prova que o universo se estrutura por um processo lento é através da esferificação dos astros e que a terra ser formada de núcleo e camadas, pois prova que os astros são formados de sobreposição de materiais pequenos que foram expelidos por outros. Pois se o universo fosse produzido num só momento por uma grande explosão a terra seria formada por um bloco inteiriço.
Com a esferificação e camadas se prova que o universo é bilhões de vezes mais velhas do que se pensa hoje. 

E se é infinitamente velho e considerando a velocidade e a aparência para o vermelho observada, com isto se conclui que não veríamos o sol e nenhuma estrela no espaço, pois o tempo que se encontra em velocidade elas estariam infinitamente distantes, e não seria capaz de observar nenhum astro no espaço.

Considerações sobre uma teoria da cosmologia e astronomia.

Uma teoria da cosmologia e astronomia deve se fundamentar no universo geral, da origem da matéria, das partículas, origem dos elementos químicos e sua estruturação, processamento, e evolução, fusão nuclear dos astros, radiação, temperatura, estruturação e estrutura dos astros, o universo como um sistema em evolução na sua constituição macro, geral e micro.

O que é o universo.
É espaço denso, matéria densificada, processos e estrutura, fluxos e evolução, sem inicio e fim.

A estrutura do espaço denso.
Como os gases que são leves, invisíveis e flutuam o espaço denso é milhões de vezes menos densificado. 

Hipótese falsa da grande explosão.
Tudo antes de explodir primeiro tem que ser formado de algum elemento, ou alguma estrutura de matéria ou espaço denso, logo é falsa a hipótese da grande explosão. 

Sobre o tempo cosmológico.

O tempo cosmológico é o tempo que representa a energia e processamento num sistema de astros.

Cosmofísica.

Universo de processos ínfimos.

O que componhe e determina o cosmo na sua estrutura são os seus processos físicos, produção de partículas e elementos químicos e sua evolução, nos núcleos onde as fusões estelares acontecem, ou seja, o universo micro determina o macro e o geral, um sistema de galáxias só vai se abrir conforma a intensidade de processos físicos que são produzidos no sistema. Ele terá luzes e formas e fluxos, componentes químicos, fusões conforme o processamento físico geral.

Da multiplicidade do universo.

O universo é múltiplo, ou seja, são vários em vários estágios de origem, processamento, estruturação, fluxo e desintegração.
Ele tem origem pela densidade do espaço que forma a matéria, depois a energia e durante o processo forma os elementos químicos e os astros.

Do fluxo do universo.

O universo se estrutura de fora para dentro [ por integração do espaço denso] depois de dentro para fora [ por desintegração da matéria ] pelos processos e fusões da matéria e nos núcleos dos astros.
Volta a se reintegrar formando astros menores e com menos energia, depois se desintegra em radiação, e se reintegra em astro, e o fluxo e processos continua até a matéria se tornar difusa e com pouca energia. 

Como exemplo se tem do espaço denso e a matéria, da matéria ao astro, a estrela que produz radiação, que vai produzir planetas, que vai produzir radiação e atmosfera, que vai produzir radiação, anéis e satélites, e o fluxo e processos estruturantes e desistruturantes continua infinitamente até a matéria difusa. 

Onde leva a matéria evoluir e produzir os elementos químicos. Assim o universo é infinito e sem forma determinada.
Assim, o universo se encontra em contração e alargamento interno, mas não em expansão e sim em afastamento ínfimo, se encontra em translação e rotação, estruturação, fluxos e evolução de seus componentes.
Enquanto uns começam a sua origem, outros se encontram em fluxos e processos, enquanto outros já se encontram na fase final que é em matéria difusa.

Cosmofísica nuclear.
Fusões nucleares.

As fusões nucleares das estrelas mantém por um bom tempo a temperatura dos astros, com isto faz com que o universo se processa lentamente, e possa manter o seu fluxo e evolução da matéria e elementos químicos e ajuda a transforma elementos leves em pesados, e vai produzir a energia e dinâmica dos astros, por isto que os secundários mais distantes possuem menos dinâmica e as órbitas são mais irregulares. Ou seja, satélites de planetas, planetas de estrelas.

Assim, o universo e seu fluxo e estruturação se deve a sua produção de energia, como também a evolução dos elementos e a dinâmica dos astros.

A produção de energia vai determinar também as camadas e esferificação dos astros.
Universo não expansionista e não estacionário.
Assim se confirma que o universo se encontra em afastamento ínfimo e não em expansão, e não se encontra estacionado pois possui rotação, translação, fluxos, evolução e outros fenômenos.

Evolutivo.
Encontra-se em evolução na sua estrutura micro e macro, dos elementos aos astros. E se eterniza como matéria com densidade difusa
.
Não é curvo e nem reto.
Observação.
A teoria da energeticidade e radiação que trata da astronomia será apresentada em outro texto. Com mais de cento e dez fórmulas provando as duas teorias, pois uso diâmetro, radiação, temperatura, rotação e velocidade equatorial. E não uso distancia massa ou gravitação